Black Friday Ubannet

26/12/2013 às 09h23m - Atualizado em 26/12/2013 às 12h38m

Polícia Civil realiza operação e apreende 65 mil objetos falsificados

Roupas, relógios, capas para celulares, óculos, bolsas, carteiras, rádios portáteis e bonés estavam entre os itens apreendds nas lojas e em três depósitos

Avaliado em R$ 2 milhões policiais da Delegacia de Crimes Contra a Propriedade Imaterial apreenderam mais de 65 mil objetos falsificados. A Operação denominada de Natal Original, foi deflagrada na madrugada desta terça-feira (23). A ação aconteceu, em mini-shoppings e galerias do Bairro de São José, no Centro do Recife. As investigações começaram em junho deste ano. Participaram da operação 116 policiais. Este ano 30 toneladas de mercadorias falsificadas foram retiradas de ciruclação.

De acordo com o delegado Germano Cunha é importante que a população tenha ciência de que isso depende de todo um trabalho investigativo, um laudo pericial e um confronto junto aos fabricantes. Segundo o Diretor das Especializadas Joselito Kehrle não é escolhido um dia aleatório para ser feita uma operação. “Há todo um trabalho por trás. Mas a população pode ficar tranquila que iremos intensificar essas operações para evitar o comércio de mercadorias ilegais," afirmou.
Roupas, relógios, capas para celulares, óculos, bolsas, carteiras, rádios portáteis e bonés estavam entre os itens apreendds nas lojas e em três depósitos, dois no Bairro de São José e um no Ibura, na Zona Sul.

Os proprietários das lojas foram interrogados na sede do Grupo de Operações Especiais - GOE. Segundo o subchefe da Polícia Civil Romano Costa as dezesseis pessoas, com idades entre 20 e 47 anos - todas chinesas - foram liberadas após prestarem depoimentos. Após a conclusão do laudo realizado pelo Instituto de Criminalística, caso comprovem a falsificação eles poderão ser indiciados e ter pena somana em mais de 20 anos. Segundo Germano Cunha, responsável pelas investigações, os acusados podem responder pelos crimes de formação de quadrilha e pirataria. crimes como contra a saúde pública, para os que estavam comerciando óculos falsificados e fraude de comércio.

Da Polícia Civil

Comentários

Outras notícias