Black Friday Ubannet

23/12/2015 às 17h51m - Atualizado em 23/12/2015 às 17h52m

Governador se compromete a quitar débitos com artistas até 30 de dezembro

Declaração foi dada após crítica do cantor Alcymar Monteiro

Governador Paulo Câmara se compromete a quitar débitos com artistas até 30 de dezembro e diz que Estado será mais célere em 2016 / Roberto Pereira/SEIGovernador Paulo Câmara se compromete a quitar débitos com artistas até 30 de dezembro e diz que Estado será mais célere em 2016

O governador Paulo Câmara (PSB) comentou nesta segunda-feira (21) o desabafo feito pelo cantor e compositor Alcymar Monteiro. O artista publicou em sua página no Facebook uma carta aberta aos gestores da área de turismo e cultura do Estado cobrando o pagamento por shows realizados este ano. "Estou pagando até o dia 30 de dezembro todos os artistas que tenham débito em aberto e que estejam regulares. Vamos quitar isso. Quero avisar aos artistas que tenham compreensão, que somos parceiros como sempre fomos", disse o governador.

Ao responder a Alcymar Monteiro, o governador aproveitou para reforçar que a política de realização de shows pelo Estado no próximo ano será mais modesta. "Em 2016, a gente vai ser mais célere nisso (nos pagamentos) e mais econômico. Vai ser um ano diferente. Vamos ter os pés no chão e prestigiar os artistas locais. Não queremos passar o que passamos em 2015, com atrasos maiores do que nós queríamos. Vou me comprometer com tudo aquilo que for pactuado em 2016, e como eu repito vai ser bem mais reduzido, para que a gente não sofra esse tipo de desgaste", falou.

Em defesa do governo, Paulo Câmara declarou que alguns atrasos de pagamento ocorrem por falhas dos próprios artistas. "Às vezes, a documentação não chega a contento e isso faz com que os pagamentos sejam atrasados", destacou.

Para o governador, também é preciso um pouco mais de compreensão da classe artística. "Muitas das festas que apoiamos foi a pedido dos próprios artistas mesmo eles sabendo que haveria o risco de ocorrer algum atraso", finalizou.


Do Jornal de Comércio Online
Roberto Pereira/SEI

Comentários

Outras notícias