Black Friday Ubannet

15/12/2015 às 01h19m

Semana pela Doação de Medula Óssea mobiliza Pernambuco

O governador Paulo Câmara convocou sociedade para reforçar a causa e realizou o seu cadastro no banco nacional.

A força da solidariedade e o engajamento em favor da vida marcaram a cerimônia de abertura, nesta segunda-feira (14.12), no Palácio do Campo das Princesas, da Semana de Mobilização Nacional para Doação de Medula Óssea. Com objetivo de ampliar o número de voluntários no Estado, o governador Paulo Câmara convocou sociedade para reforçar a causa e realizou o seu cadastro no banco nacional.

"Em momento como esse de tantos desafios, nós precisamos muito da solidariedade das pessoas. Que essa semana seja toda em favor da vida do próximo, e que Pernambuco se entregue a essa causa. Uma causa de amor", conclamou Paulo Câmara.

Hoje, o Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (REDOME) soma mais de 3,8 milhões de cadastrados. Desse total, 102 mil fazem parte do levantamento estadual. Com o início da campanha, a expectativa é obter mais 500 novos cadastros, apenas no primeiro dia de mobilização. Em Pernambuco, 35 pessoas aguardam por um transplante de medula óssea. No País, a espera alcança 1.288.

"A gente quer, em breve, multiplicar o nosso cadastro por dez. Para que, mais na frente, as pessoas que precisam de um transplante de medula possam contar com mais ajuda dos pernambucanos. Quanto mais as pessoas souberem da simplicidade desse procedimento, maior será o nosso banco de voluntários", assegurou o chefe do Executivo estadual.

A chance de encontrar uma medula compatível entre irmãos é de 25%. Já entre pessoas que não são parentes de sangue pode ser de 1 em 100 mil. Aumentar o número de pessoas no Redome é essencial para viabilizar transplantes.

Lembrada pela primeira vez em 2009, a Semana Nacional de Incentivo à Doação de Medula Óssea foi instituída pela Lei nº 11.930/2009, de autoria do então deputado federal Beto Albuquerque. A Lei, conhecida como Lei Pietro, é uma homenagem ao filho do ex-parlamentar, que faleceu vítima de leucemia mieloide aguda (LMA) naquele ano, após 13 meses de luta contra a doença.

Albuquerque explicou que Pernambuco foi escolhido para abrir a campanha devido ao papel de liderança que o Estado exerce no Nordeste. "Aqui, nós temos um exemplo muito importante para um País que precisa mobilizar milhões de brasileiros. O número de doadores no Norte e Nordeste precisa crescer dentro do cadastro nacional e, com o envolvimento dos governos, tudo pode melhorar. Quanto mais doadores cadastrados nós tivermos, mais condições vamos ter de salvar as vidas de quem depende de um transplante", frisou Beto.

MOBILIZAÇÃO - Na oportunidade, o prefeito do Recife, Geraldo Julio, que também realizou o cadastro no Redome, colocou a plataforma "Transforma Recife" à disposição da campanha. A rede é responsável por unir organizações e voluntários na construção de uma cidade solidária e terá condições de mobilizar mais doadores. "Na plataforma, nós temos mais de 60 mil voluntários que vão poder compartilhar essa campanha e aumentar o número de doadores", afirmou o prefeito.

Além dos tradicionais espaços nos hemocentros locais (apenas no Hemope), nesta segunda-feira (14/12), será possível se cadastrar em uma sala no Palácio do Campo das Princesas, no bairro de Santo Antônio, no Recife, até às 16h. No local, foi disponibilizados profissionais para orientar os voluntários.

REDOME - Para se cadastrar é preciso ter entre 18 e 55 anos, boa saúde e não apresentar doenças infecciosas ou hematológicas. A pessoa deve apresentar documento de identificação e preencher o formulário. No local, todas as informações e esclarecimentos serão dados ao doador, que ainda passará por um teste de laboratório para identificar características genéticas para um possível transplante.

O secretário de Saúde do Estado, Iran Costa, também fez um apelo aos cadastrados para que todos realizem a atualização dos seus dados no sistema. Atualmente, 30% dos voluntários compatíveis para um transplante não são localizados. "Além de realizar o cadastro, é preciso estar sempre atualizando os dados no site, para que a gente possa identificar esse doador", informou o gestor.


Da Assessoria
Fotos: Roberto Pereira/SEI

Comentários

Outras notícias