Black Friday Ubannet

09/12/2015 às 10h31m - Atualizado em 09/12/2015 às 10h33m

Hospital Tricentenário vai apurar caso de mau atendimento à gestante em Olinda

Mãe e filha passam bem na enfermaria do hospital. A bebê nasceu em um ônibus, depois que a mãe foi orientada pelo obstetra de plantão a voltar para casa

Maria José de Almeida, de 38 anos, e a bebê Vitória, nascida em uma viagem de ônibus, passam bem na enfermaria do Hospital Tricentenário, em Olinda. De acordo com a equipe médica da unidade, o resultado de exames de sangue é aguardado para que mãe e filha possam, enfim, ir para casa escrever uma história diferente das vividas quando a mãe deu a luz.Na tarde desta segunda-feira (7), a gestante procurou o hospital e foi orientada pelo obstetra de plantão a voltar para casa. No caminho, a pequena Vitória nasceu com a ajuda de passageiros da linha TI – Xambá / Rio Doce.

A dona de casa e mãe de outros sete filhos contou que chegou com dor e foi maltratada no hospital.Maria José Sobral, que estava com a gestante, condenou o atendimento do médico. “É uma falta de respeito muito séria”, disse.A unidade que realiza uma média de 500 partos por mês ainda não conversou com o responsável pelo atendimento de Maria José de Almeida. Erika Ximenes, coordenadora da maternidade, prometeu abrir um processo administrativo para apurar o caso.

“Diante dos relatos contidos na ficha de atendimento, a paciente chegou com dois centímetros, o que não é um trabalho de parto ativo”, afirmou. A coordenadora disse ainda que por a mãe já ter outros sete filhos, pode ter acelerado o processo devido à movimentação da paciente. “Se movimentar pode evoluir mais rápido para um parto normal”, concluiu.


As informações ssão da Rádio Jornal

Comentários

Outras notícias