27/11/2014 às 11h06m - Atualizado em 27/11/2014 às 15h22m

Rodovia PE-89, menos de um ano de uso e completamente esburacada

São 57 km de extensão, e um investimento de quase R$ 25 milhões. Obra eleitoreira ou serviço mal feito?

Restauração da PE-89

Como explicar ao contribuinte que na Rodovia PE-89 que vai do entroncamento da PE-90, em Limoeiro, ao entroncamento com a BR-408, em Timbaúba, com extensão de 57,10 km, na restauração foram gastos R$ 24,9 milhões, e sua pista de rolamento em muitos trechos já está intransitável.

Importante via de escoação de produtos agrícolas (cana-de-açúcar e banana), liga cinco cidades em sua extensão que vai do trecho da PE-90 na Vila Mendes, em Limoeiro, passando por Machados, São Vicente Ferrér, Macaparana até chegar na BR-408 em Timbaúba.

É uma verdadeira “aventura” para os transportes que trafegam para as cidades vizinhas e pra a capital, como por exemplo, ônibus escolares, caminhões, motocicletas, afinal, são centenas de veículos e milhares de pessoas que utilizam esta importante rodovia diariamente, para trabalhar, estudar, e fazer compras no comércio destas cinco cidades, em uma região carente, em que a sua população corre diariamente a procura de emprego e renda para melhorar suas vidas.

Não vamos discutir detalhes técnicos, pois não somos expert no assunto, somos apenas cidadãos que achamos que nossos impostos (que por sinal são altíssimos), tem que ser melhor aplicado, pois é impossível imaginar que autoridades insensíveis deixem isso acontecer sem haver fiscalização e punição para os culpados, se houver.

Pois o que se ver nas mídias escrita, falada e televisada são denúncias de fraudes em licitações e superfaturamentos em serviços públicos, e verdadeiros cemitérios de obras inacabadas em total desrespeito ao nosso dinheiro. O povo já está cansado de ser descaradamente passado para trás.

A instante acompanhamos na imprensa nacional denúncias de escândalos envolvendo construtoras e políticos, por isto temos que ficar de olho, afinal, foram quase R$ 25 milhões investidos na restauração de uma rodovia que em menos de um ano já está cheia de buracos e muitos trechos praticante não tem acostamento, onde condutores de veículos e pedestre arriscam suas vidas.

Em respeito aos contribuintes, autoridades tem que explicar o que está sendo feito para que isto não volte a acontecer, e dizer ao povo quem está pagando a conta desta “Operação Tapa Buracos”, do contrário o povo vai pensar que se trata de um serviço intencionalmente mal feito, uma restauração descartável em ano eleitoral.


Por Reginaldo Silva

Fotos: Timbaúba Agora

Comentários

Outras notícias