Black Friday Ubannet

18/11/2015 às 18h25m - Atualizado em 18/11/2015 às 18h32m

coronel Antônio Pereira Neto é afastado do comando geral da Polícia Militar

Os altos índices de violência registrados nos últimos meses são apontados como uma das causas do seu afastamento.

Com Pacto pela Vida em crise, o governador Paulo Câmara decidiu mudar o comando da PM. O comandante geral da PM coronel Pereira Neto está sendo afastado das funções. No seu lugar, assume o coronel Carlos Alberto D’Albuquerque Maranhão Filho.

Paulo Câmara convocou coletiva de imprensa na tarde desta quarta-feira (18), às 15h30, no Palácio do Campo das Princesas, para o anúncio do novo comando. Já a passagem de comando será realizada nesta quinta-feira (19), às 7h30, no Quartel do Derby.

O novo comandante é ligado ao coronel Mário Cavalcanti, que acaba de ser nomeado como interventor de Gravatá, nesta terça-feira.

D’Albuquerque vem da Casa Militar do Palácio do Campo das Princesas também, onde trabalhou com Mário Cavalcanti na coordenadoria de Defesa Civil de Pernambuco. Ele também preside o Clube dos Oficiais da PM e Bombeiros.

Os altos índices de violência registrados nos últimos meses são apontados como uma das causas. Tomando como base a projeção da Secretaria de Defesa Social (SDS) para o último mês, seriam, ao todo, 3.174 assassinatos no Estado desde o início do ano. Número que já é maior que os 3.102 homicídios registrados em todo ano de 2013, o de melhor desempenho desde que o Pacto Pela Vida foi implementado, em 2007.

Apenas em junho deste ano, a meta estipulada pela SDS foi batida. Em todos os outros nove meses, o número real de assassinatos superou a projeção.

Nos bastidores da PM, fala-se ainda que a nova movimentação salarial dos policiais pode estar relacionada com a substituição. “Há um movimento dos coronéis por aumento de salários, e o governo pode ter feito a avaliação de que ele não estaria agindo com lealdade”, comenta uma fonte do Blog.

Afora os números do Pacto pela Vida, que já são piores que os do ano passado, a defesa do ciclo completo pelos PMs e ser contra o projeto do governo que dava exclusividade para os delegados fazerem Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) também podem ter sido outro dos motivos da queda da cúpula da PMPE.


As informações são do Blog do Jamildo

Comentários

Outras notícias