GB Bateiras

11/11/2014 às 05h03m - Atualizado em 11/11/2014 às 05h04m

Nova vacina protege gestantes contra coqueluche, tétano e difteria

A expectativa da Secretaria Estadual de Saúde (SES) é vacinar 141.358 mulheres.

A partir deste mês de novembro, mulheres grávidas devem tomar a vacina dTpa, que protege contra coqueluche, tétano e difteria. A vacina passa a fazer parte do calendário nacional de vacinação e servirá como reforço ou complementação do esquema da vacina dupla adulta (difteria e tétano). Por ano, em Pernambuco, a expectativa da Secretaria Estadual de Saúde (SES) é vacinar 141.358 mulheres.

“A nova vacina será disponibilizada para gestantes a partir da 27ª semana de gestação e poderá ser administrada até 20 dias antes da data provável do parto. Contudo, a indicação é que as mulheres procurem os postos de saúde logo no início do período descrito”, afirma a coordenadora do Programa Estadual de Imunização (PEI/PE), Ana Catarina de Melo. Profissionais de saúde que atuam em maternidades e em unidades de internação neonatal (UTI/UCI neonatal) também serão beneficiados.

O objetivo é, principalmente, diminuir a incidência e mortalidade por coqueluche nos recém-nascidos. Essa vacina oferece proteção vacinal indireta nos primeiros meses de vida da criança (passagem de anticorpos maternos por via transplacentária para o feto), quando ela ainda não teve a oportunidade de completar o esquema vacinal.

Difteria – doença infecciosa respiratória aguda grave podendo incidir em qualquer faixa etária. É causada pela toxina da bactéria Corynebacterium diphtherie e transmitida pelo contato direto com pessoas doentes ou portadores por intermédio da aspiração de secreções ou objetos contaminados por estas secreções.

Tétano – doença infecciosa aguda não contagiosa causada pela fixação no sistema nervoso de exotoxinas segregadas pelas formas vegetativas pelo Clostridium tetani, distribuindo-se difusamente na terra, água, poeira, bem como na superfície de animais, vegetais e objetos inanimados. Nos casos do tétano acidental resulta de feridas traumáticas (puntiformes, contusas, laceradas e penetrantes), muitas vezes causadas por agentes mecânicos diversos (prego, madeira, vidro, espinho) situando-se também nessa denominação os politraumatismos, feridas por armas brancas ou de fogo, fratura expostas, queimaduras. No tétano neonatal, a contaminação é produzida durante a manipulação do cordão umbilical ou dos cuidados inadequados do coto umbilical quando se usam substâncias, artefatos ou instrumentos contaminados com esporos da bactéria.

Coqueluche – doença infecciosa aguda de alta transmissibilidade causada pelas bactérias Bordetella pertussis e B. parapertussis. O homem é o único reservatório natural e ainda não foi demonstrada a existência de portadores crônicos. Essa doença apresenta grande número de complicações secundárias cujas mais comuns são as respiratórias, como a pneumonia e a otite média, pneumonia de outras etiologias, ativação de tuberculose latente, atelectasia, bronquiectasia, enfisema, e pneumotórax. Também podem ocorrer complicações neurológicas, tais como: encefalopatia aguda, convulsões, coma, hemorragias (intracerebrais e subdural), e outras complicações produzidas pelo esforço durante os episódios de tosse durante a fase paroxística da doença (de duas a seis semanas).


Informações da Secretaria-Executiva de Atenção à Saúde

Comentários

Outras notícias