07/11/2014 às 13h50m - Atualizado em 07/11/2014 às 14h07m

Caminhada no Centro do Recife marca mês da Consciência Negra em Pernambuco

Os participantes reivindicaram o fim do preconceito com os terreiros em Pernambuco e o cumprimento da lei que inclui a história da África nas escolas.

Para alguns setores da sociedade civil organizada, o dia 13 de maio, data que marca a abolição da escravatura, não é motivo de festa. Alguns grupos defendem que a data para lembrar a luta dos antepassados por liberdade é a da morte do líder negro Zumbi dos Palmares, o dia 20 de novembro.

Para celebrar o Dia da Consciência Negra, líderes e integrantes das religiões de matriz africana promovem uma caminhada nesta terça-feira (4). A concentração está marcada para às 14h, no Marco Zero, com término no Pátio de São Pedro. Esta é a 8ª edição do evento, chamado de Caminhada dos Terreiros de Pernambuco

Além dos pedidos de paz, os participantes vão reivindicar o fim do preconceito com os terreiros em Pernambuco. Outra bandeira de luta a ser enfocada no ato será o cumprimento da lei que inclui a história da África nas escolas.

A Lei 10.639/03, alterada pela Lei 11.645/08, inclui no conteúdo programático das escolas públicas e privadas diversos aspectos do estudo da história da África e dos africanos, a luta dos negros e dos povos indígenas no Brasil, a cultura negra e indígena brasileira e o negro e o índio na formação da sociedade nacional, resgatando as suas contribuições nas áreas social, econômica e política, pertinentes à história do Brasil.

O coordenador da articulação do evento, Marcos Pereira, diz que representantes estrangeiros vão reforçar a caminhada.


Da Rádio Jornal
Foto: reprodução/facebook

Comentários

Outras notícias