30/10/2014 às 16h56m - Atualizado em 31/10/2014 às 20h24m

Polícia Federal de Pernambuco desarticula grupo suspeito de fraudar a previdência em R$ 12 milhões

Organização inseria dados falsos no sistema da previdência social gerando um prejuízo mensal aos cofres públicos.

 / Foto: Divulgação/Polícia Federal

A Polícia Federal de Pernambuco deflagou nesta quinta-feira (30) a ''Operação Omni'' para desarticular um grupo suspeito de fraudar benefícios previdenciários. Organização inseria dados falsos no sistema da previdência social gerando um prejuízo mensal aos cofres públicos de aproximadamente R$ 186 mil, totalizando, até o momento, R$ 12 milhões.

A operação espera cumprir 51 mandados judiciais, sendo 6 de prisão preventiva, 7 de prisão temporária e 38 de busca e apreensão, nos municípios pernambucanos de Garanhuns, Canhotinho, Recife, Tamandaré, Caruaru, Bezerros, São Caetano, além de Maceió, em Alagoas e na Praia do Pipa, em Tibau do Sul, no Rio Grande do Norte.

A quadrilha era comandada por um empresário de Caruaru que recebia ajuda de duas contadoras, um advogado, três servidores do INSS e dois funcionários da prefeitura de Garanhuns cedidos para a agencia do INSS de Canhotinho. Também são alvo da operação laranjas usados pelo chefe da quadrilha para fraudar benefícios previdenciários.

Durante as investigações, a Polícia Federal conseguiu evitar o pagamento de mais de R$ 300 mil. Também foi identificado um esquema de lavagem de dinheiro através de uma rede de postos de combustíveis que ficarão sob a intervenção da justiça até a integral reparação aos cofres públicos.

Toda a ação está sendo coordenada pela Polícia Federal de Caruaru, para onde as pessoas detidas e os materiais apreendidos estão sendo levados. "Nós estamos realizando uma série de recuperações de ativos tais como, veículos, bens imóveis, valores e Jet skis, para que assim, os cofres públicos sejam ressarcidos", explica o, Giovanni Santoro.


Do JC Online
Foto: Divulgação/Polícia Federal

Comentários

Outras notícias