Black Friday Ubannet

29/10/2017 às 15h04m - Atualizado em 30/10/2017 às 07h15m

Pernambuco: chegada de novos PMs vão reforçar segurança do Estado

Praças da Radiopatrulha e da ROCAM foram lançados no patrulhamento das ruas nesta sexta-feira, no Quartel do Derby

Novos Raios e Águias dão ainda mais força à segurança do Estado

A chegada dos novos policiais aos Batalhões ampliou a segurança nas ruas e a população tem sentido essa presença no seu dia a dia. Agora, está na hora de uma nova etapa neste processo de reforço da PMPE, com o lançamento dos novatos das unidades especializadas, policiais com um treinamento especial para atuar de forma diferenciada, dos Batalhões de Radiopatrulha, CIPMoto e Cavalaria, sendo que este último ainda demora um pouco mais, por ser necessário haver uma interação maior entre o homem e o animal. Esse incremento é mais um passo dado no programa de segurança pública do Governo do Estado, dentro do Pacto pela Vida, que se renova a cada dia buscando avanços no enfrentamento da criminalidade em Pernambuco.

Para fazer uma espécie de “batismo” dos Águias e Raios, como são chamados os policiais da CIPMoto e Radiopatrulha, respectivamente, a Polícia Militar lançou os novatos na manhã desta sexta-feira (27/10), no Quartel do Derby. Após breves palavras de incentivo de seus comandantes, eles estarão assumindo suas funções e partindo para as ruas, efetivamente dando início a uma carreira em defesa da sociedade pernambucana.

Na CIPMoto, os novos integrantes da ROCAM fizeram um último treinamento de rua no final de semana passado e estão prontos para “voar”, como Águias que são. “Foram dias de treinamento intenso, pela manhã, tarde e noite”, conta o major Cleto Ribeiro, comandante da Companhia, mostrando orgulho da nova safra de sua tropa: “Todos foram voluntários, pediram para vir para a ROCAM, e isso faz uma diferença incrível. Após realizarem um teste de habilidade com a motocicleta, passamos às disciplinas específicas, como técnica de abordagem com motos, de pilotagem, de patrulhamento de alto risco, de escolta, entre outros”, explicou o oficial, que também coordenou o curso de formação da turma.

A frota também foi renovada para reforçar o combate à criminalidade. Em dezembro, chegaram 50 novas motocicletas, às quais se somaram as 25 recebidas neste mês mês de outubro. “Os policiais contam com equipamentos novos, sempre voltados para a segurança do cidadão e o pronto combate ao crime”, ressaltou. As equipes da ROCAM atuarão nos pontos onde há o maior índice de homicídios e de Crimes Violentos contra o Patrimônio (CVPs). “Todas essas áreas estão mapeadas dentro da Região Metropolitana e nós já sabemos exatamente onde vamos atacar”, explicou o comandante da Radiopatrulha.

A confiança do oficial se reflete na empolgação dos novos praças. Para o soldado Sérgio Marques, o curso de formação superou suas expectativas, que já eram grandes. “Tanto na parte técnica, com informações preciosas que recebemos para aplicar nas ruas, como na estrutura oferecida para o treinamento, foi tudo muito positivo”, contou Marques, que cursa o terceiro período do curso de Direito, mas pensa em ficar na ROCAM por um bom tempo. “Eu sempre quis trabalhar aqui, principalmente agora que estou conhecendo o ambiente, vendo a maneira como as pessoas se tratam e tudo o mais que acontece”. O soldado Ithiel Augusto, de 25 anos, ratifica o compromisso: “Estamos chegando mais preparados para enfrentar a criminalidade, com a velocidade da motocicleta.”

RAIO – A convicção de que essa nova turma de soldados irá manter as tradições também é uma constante na Radiopatrulha. O major Alexandre Jorge, comandante do Batalhão, avaliou o grupo como muito motivado. O oficial está certo de que o grupo que chega vai saber honrar a história da corporação. “São policiais extremamente preparados para enfrentar qualquer tipo de situação adversa. Estamos prontos para reduzir os índices de violência e dar uma resposta à sociedade”, afirmou.

Para o sargento Joaquim França, instrutor do curso de formação, os soldados estão prontos para honrar a farda e sua biografia. Entre os conhecimentos repassados, ele cita técnica de escolta, choque ligeiro (um primeiro confronto com grupos menores, antes da chegada do Batalhão de Choque), técnicas de alto risco (como entrada em favelas ou edificações isoladas onde estão criminosos), emboscadas, gerenciamento de crise (assalto com reféns, por exemplo), uso de armamento e muitos outros. Para o sargento, todos se mostraram prontos para colocar em prática o que foi ensinado: “É um grupo forte. Agora, vamos mesclando os mais novos com os mais experientes nas viaturas, para que possam ter um conhecimento maior do terreno onde vão atuar”.

Desde o concurso da PMPE, o soldado Andrei Ricardo sonhava em ingressar na Radiopatrulha, mesmo tendo concluído curso superior em Redes de Computadores. “A RP sempre foi minha primeira opção”, conta o praça, afirmando que o curso de formação deu uma base muito grande para que vão às ruas confiantes na realização de um bom trabalho: “Repetimos várias vezes cada exercício para chegar à excelência das movimentações. Agora, é colocar em prática tudo que aprendemos”, definiu.

Comentários

Outras notícias