Black Friday Ubannet

17/10/2016 às 10h43m - Atualizado em 17/10/2016 às 10h46m

Ilha ferve e Sport vence o Vitória em dia de Magrão e Diego Souza

Os três pontos fizeram o Leão pular para a 13ª colocação e chegar aos 37

Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife

Como nos velhos tempos, a Ilha do Retiro fez a diferença. Quase 25 mil rubro-negros fizeram o "caldeirão" e foram responsáveis diretamente para a conquista de uma vitória pra lá de importante, por 1x0, sobre o Vitória. Também como nos velhos tempos, Magrão mais uma vez fez a diferença, defendendo um pênalti. Outro ídolo, o Diego Souza, foi o autor do golaço da vitória.

Os três pontos fizeram o Leão pular para a 13ª colocação, e chegar aos 37. O próximo duelo pelo Campeonato Brasileiro será no próximo domingo (23), contra o líder Palmeiras, em São Paulo.

O jogo

O bom público que compareceu à Ilha do Retiro pôde presenciar um jogo de muitas emoções, sobretudo nos primeiros minutos de bola rolando. Somente nos 15 minutos iniciais, os torcedores viram um golaço de Diego Souza e o Vitória perder dois pênaltis, um deles numa grande defesa do goleiro Magrão, que também "estava na bola" na segunda cobrança.

Aos seis minutos, DS87 roubou a cena e fez a Ilha ir abaixo. O meia dominou a bola na entrada da área e se livrou de dois marcadores para mandar um chutaço com a perna esquerda e balançar as redes com estilo. Logo depois, quando a torcida ainda comemorava o gol, o clima ficou tenso com a marcação de dois pênaltis para os baianos.

Mas, graças a estrela de Magrão, a tensão deu lugar a euforia. O ídolo rubro-negro defendeu a cobrança de Zé Love, enquanto Kieza chutou na trave. Ainda na primeira etapa, Rogério teve uma chance claríssima de gol, e Ronaldo Alves quase deixou o dele, em um escanteio. No segundo tempo, empurrado pela torcida, o Sport continuou mandando no jogo.

Várias chances foram criadas, mas o gol não saia, graças a boas defesas do goleiro. O camisa 1 adversário impediu chutes venenosos de Vinícius Araújo, à queimar roupa, e Apodi. Rithely também o obrigou a trabalhar em duas oportunidades. O tempo ia passando e a ansiedade tomava conta dos rubro-negros, que não viam a hora de o árbitro apitar o final da partida para a importante vitória ser concretizada.

Aos 37, o Vitória teve um jogador expulso e facilitou a vida dos leoninos.

Comentários

Outras notícias