Black Friday Ubannet

15/10/2016 às 03h39m - Atualizado em 15/10/2016 às 03h50m

Mais de R$ 300 mil são apreendidos em operação da polícia em Jaboatão

Polícia Civil diz que R$ 177 mil estavam na casa do candidato a prefeito, Neco (PDT). Outro alvo da operação é o vice da chapa adversária, Ricardo Valois (PR).

Do G1/PE

A Polícia Civil de Pernambuco divulgou, no fim da tarde de hoje, um novo balanço da Operação Caixa de Pandora, que investiga denúncias de crimes cometidos na Câmara Municipal em Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife. O total da apreensão em dinheiro, que era parcialmente de R$ 90 mil, aumentou para R$ 303.783. Ainda segundo a polícia, desse valor apreendido, a maior parte (R$ 177 mil) foi encontrada na casa do candidato a prefeito de Jaboatão Manoel Pereira Neco (PDT).

Os 48 mandados de busca domiciliar resultaram, ainda, na apreensão de três armas: uma pistola calibre 380, um rifle calibre 22 e um revólver calibre 38. Três pessoas foram autuadas por crimes previstos no Estatuto do Desarmamento, entre elas, dois vereadores do município de Jaboatão dos Guararapes. Eles pagaram fiança e vão responder em liberdade.

Também foram apreendidas "dezenas de computadores, aparelhos celulares e centenas de documentos", informou a assessoria de imprensa da Polícia Civil. Mais informações sobre a Operação Caixa de Pandora serão divulgadas em uma coletiva de imprensa que acontecerá na terça-feira (18), às 9h30, no Departamento de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Depatri), no bairro de Afogados, na Zona Oeste da capital.

A operação

Dois dos principais alvos da Operação Caixa de Pandora são o candidato a prefeito de Jaboatão dos Guararapes Manoel Pereira Neco (PDT) e Ricardo Valois (PR), candidato a vice na chapa adversária, liderada por Anderson Ferreira (PR). Ambos disputam o segundo turno da eleição municipal no dia 30 deste mês. Dos 48 mandados de busca e apreensão em residências e em gabinetes de vereadores da cidade, 19 tiveram como alvo parlamentares de Jaboatão. Cinco deles se reelegeram para a Câmara, que tem 27 cadeiras.

Entre os crimes investigados pela Operação Caixa de Pandora, estão associação criminosa, peculato — quando o funcionário público se beneficia com irregularidades praticadas —, além de falsificação de documentos e abandono de cargo público. Ao todo, forma mobilizados 354 policiais, incluindo delegados, agentes e escrivães.

Em entrevista na sede do Depatri, o delegado Salustiano Albuquerque falou sobre a possível contratação irregular de servidores para o Legislativo de Jaboatão, o segundo principal colégio eleitoral do estado, com 443,8 mil eleitores.

Os mandados de busca e apreensão foram expedidos pela juíza da 2ª Vara Criminal de Jaboatão. A ação, coordenada pela Diretoria Integrada Especializada (Diresp) e pela Gerência de Controle Operacional Especializada (GCOE), é supervisionada pela Chefia da Polícia Civil. Ainda de acordo com a corporação, a investigação teve início há cinco meses.

Respostas

Em nota, a Coligação Muda Jaboatão, do candidato Anderson Ferreira, afirmou que "apoia toda investigação e a rigorosa apuração procedida pelo Ministério Público e pela Polícia. E têm a certeza de que a justiça será feita nesse casão envolvendo vereadores de Jaboatão". O G1 tentou localizar o vereador Ricardo Valois, mas não obteve sucesso.

Em coletiva de imprensa realizada às 9h desta sexta, em sua casa, Neco disse estar tranquilo e que os advogados cuidarão da parte jurídica. Para ele, toda a operação não passa de uma 'armação'. Na ocasião, ele definiu sua vida como 'um livro aberto', devido aos seus 40 anos como vereador em Jaboatão dos Guararapes e aos 25 anos como delegado.

Comentários

Outras notícias