06/10/2014 às 12h40m - Atualizado em 06/10/2014 às 12h42m

Armando Monteiro reconhece derrota, mas não analisa diferença de votos

Candidato derrotado ao governo do Estado, petebista preferiu não analisar a diferença de votos, que chegou a mais de 1,5 milhão de votos

 / Foto: Guga Matos/JC Imagem

Era pouco mais das 20h quando o candidato Armando Monteiro (PTB), segundo lugar no resultado das eleições para governador do Estado, concedeu uma entrevista coletiva por cerca de 15 minutos reconhecendo a derrota das urnas. O candidato acompanhou a apuração dos votos em sua residência, na Avenida BOa Viagem, ao lado da família e de correligionários.

"Venho reconhecer o resultado eleitoral, que corresponde à manifestação do povo de Pernambuco. Nós nos sentimos com muita responsabilidade de termos podido receber de mais de um terço dos pernambucanos uma manifestação de confiança num pleito em que circunstâncias especiais ocorreram, que são de amplo conhecimento", disse Armando, referindo-se ao acidente aéreo em que faleceu o ex-governador Eduardo Campos.

"Da minha parte, desejo que o governador eleito se coloque à altura dos desafios que Pernambuco terá que enfrentar nos próximos anos", acrescentou Armando sobre a eleição de Paulo Câmara.

Apesar de ter citado a morte de Eduardo Campos, Armando não quis atribuir a derrota nas urnas à comoção. "Não gostaria de me deter mais nisso, isso passou. Houve um resultado, nós perdemos. Nosso compromisso é olhar para frente. Vamos estar atuando defendendo os interesses de Pernambuco", explicou.

Também derrotado nas urnas, João Paulo (PT), que concorreu ao Senado, preferiu não comentar a diferença de votos entre o senador eleito, Fernando Bezerra Coelho (FBC). "Demos tudo de nós, acreditamos que temos a melhor proposta para Pernambuco. Se o percentual é maior ou menor, o resultado é o mesmo. Sempre fui preparado e treinado para qualquer cenário, estou muito bem. Estou convencido que dei o melhor de mim na campanha. A vida continua, não é o resultado de uma eleição que vai abalar", declarou.

Além da família, Armando estava acompanhado de companheiros de partido, candidatos a deputados estaduais e federais, e do senador Humberto Costa (PT). O candidato afirmou, ainda, que continuará trabalhando em prol da reeleição de Dilma Rousseff (PT) no Estado.


Informações do JC Online

Comentários

Outras notícias