03/10/2014 às 09h27m - Atualizado em 04/10/2014 às 15h05m

Mais de 15 mil policiais serão mobilizados para garantir segurança durante as eleições

Efetivo de 13.642 PMs e de 1.470 policiais civis vai atuar em operação especial

Esquema especial foi apresentado no Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR)
O esquema de segurança para as eleições de domingo (5) contará com 15.112 policiais civis e militares em todo o Estado. O reforço começará às 6h, seguindo até uma hora após o término da apuração dos votos. A operação também contará com profissionais do Corpo de Bombeiros e da Polícia Científica. O esquema foi divulgado em entrevista coletiva realizada no prédio do Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR), nesta quinta-feira (2).

A central também deve reunir representantes da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe), do Grande Recife Consórcio de Transporte, da Companhia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU), da Guarda Municipal do Recife, da CBTU/Metrorec, dos Ministérios Público Federal (MPF) e Estadual (MPPE), do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PE) e das polícias Federal (PF) e Rodoviária Federal (PRF). Será a primeira vez que o modelo integrado, semelhante ao utilizado na Copa do Mundo em Pernambuco, será utilizado no processo eleitoral.

Ao todo, 13.642 policiais militares serão lançados para garantir a segurança, o que representa 80% do efetivo, a partir desta sexta-feira (3). Na Região Metropolitana do Recife (RMR), atuarão cerca de 6,6 mil PMs. No Interior, esse número será de quase sete mil. Já o efetivo de policiais civis empregados será de 1.470, sendo 401 na RMR e 1.069 no Interior do Estado. O investimento total na Operação Eleições, especialmente no pagamento de diárias dos profissionais, será de R$ 1,5 milhão.

As pessoas envolvidas no esquema vão atuar na segurança das urnas e dos locais de votação, além de dar apoio aos juízes eleitorais. Dois helicópteros também serão usados na operação.

Bebidas alcoólicas
A Secretaria de Defesa Social (SDS), responsável pela divulgação das informações, também explicou que a liberação da venda e do consumo de bebidas alcoólicas no próximo domingo (5) ocorreu para que as forças de segurança possam atuar com foco no processo eleitoral em si. O secretário Alessandro Carvalho argumentou que, em outros pleitos, a preocupação em garantir a proibição da comercialização e da compra era uma tarefa a mais para os profissionais envolvidos na operação. No entanto, quem atrapalhar o processo de votação, inclusive por estar embriagado, poderá ser detido.


Da Folha PE

Comentários

Outras notícias