Black Friday Ubannet

24/09/2018 às 13h22m - Atualizado em 25/09/2018 às 06h55m

Polícia prende suspeito de estuprar meninos entre 10 e 13 anos

Crimes teriam acontecido no bairro de Peixinhos, em Olinda, mediante oferta de dinheiro para a prática de sexo oral

estupro-adolescente_1

“Ele atraía os meninos para a casa dele, oferecendo a televisão para assistir alguns jogos de futebol. Eram dados aos meninos alguns entorpecentes e aqueles que estavam com uma situação financeira precária, ele oferecia R$ 5, R$ 10, R$ 15. Em troca disso, os meninos deixavam ele praticar sexo oral”, disse o delegado Ricardo Cysneiros. Era assim que Carlos Alberto de Souza Gusmão teria atraído e estuprado cerca de nove meninos entre dez e 13 anos, no bairro de Peixinhos, em Olinda. A denúncia foi feita pelo Ministério dos Direitos Humanos e o suspeito preso na última sexta-feira (21). A polícia não descarta que mais estupros tenham sido cometidos.

No celular de Carlos Alberto, também conhecido como Carlinhos do Bicho, a polícia encontrou vídeos do suspeito praticando sexo com um adolescente de 13 anos. O crime teria acontecido em dezembro do ano passado, na casa do suposto estuprador, que trabalha como ambulante. Uma das filmagens teria sido compartilhada em grupos de WhatsApp.

A polícia já estava à procura do suspeito, realizando uma busca nas proximidades da casa de Carlos Alberto. No entanto, na sexta-feira (21), o homem se apresentou na delegacia em companhia de um advogado. O suposto estuprador confessou que cometeu o crime contra o adolescente que aparece no vídeo compartilhado no WhatsApp, porém negou ter abusado das demais vítimas.

“Ele confessou apenas esse que ele foi preso. Ele nega os outros. Ele diz que conhece os meninos, mas que com aqueles outros era só para assistir jogos de futebol. As vítimas são todas do sexo masculino, entre dez e 13 anos, em situação de vulnerabilidade”. Ricardo Cysneiros, delegado responsável pelo caso

Carlinhos do Bicho foi levado para o Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel) e deve responder por três crimes: estupro, exploração sexual e publicação de vídeos com cenas de sexo de vulneráveis pela internet. O suspeito, caso seja condenado, pode pegar uma pena de 30 anos de reclusão.

Do Portal P9

Comentários

Outras notícias