Black Friday Ubannet

14/09/2016 às 09h19m

Marinha investiga acidente que matou oficial pernambucana em navio no Rio de Janeiro

Além de Eloá, outros três oficiais da Marinha Marcante também foram atingidos e ficaram feridos.

Deve acontecer nesta quarta-feira o enterro da oficial da Marinha Mercante Eloá Bernardo dos Santos, 23 anos. A pernambucana teve nessa segunda-feira a morte cerebral declarada por médicos de um hospital do Rio de Janeiro.

Eloá foi atingida por um forte jato de água e bateu a cabeça contra uma tubulação durante teste com canhão usado no combate a incêndio. O acidente aconteceu no interior do navio rebocador Astro Tamoio, da empresa offshore Astromarítima de Navegação, que presta serviços à Petrobras. Outros três oficiais da Marinha Marcante também foram atingidos e ficaram feridos.

O navio estava na Baía de Guanabara, na altura do município de São Gonçalo, Rio de Janeiro. Ela ficou semiconsciente e foi socorrida imediatamente, conforme a empresa, sendo levada de lancha para o Hospital Santa Maria Madalena, na Ilha do Governador, na zona norte do Rio.

Em declaração ao jornal O GLOBO, o oficial superior de máquinas Alexandre de Oliveira Gomes afirmou que o equipamento travou na hora do teste, quando os marinheiros foram tentar destravá-lo o equipamento voltou a funcionar disparando jatos de água fortes que atingiram os quatro oficiais.

Embarcada havia 38 dias, Eloá não participava do teste. Ela estava passando pelo convés no momento do giro do canhão e foi surpreendida, batendo com a cabeça na tubulação de água.

A pernambucana teria se mudado para o Rio de Janeiro para seguir carreira militar. A família da vítima ainda não sabe o horário do velório, porque ainda está aguardando a liberação do corpo. O enterro deverá ser no Memorial Guararapes.

Investigação
Segundo a Astromarítima, nunca havia ocorrido acidentes a bordo dele. O jato de água, que estava apontado originalmente para o mar, girou para o convés da embarcação, por um motivo que a empresa ainda investiga.

A Astromarítima presta serviços de apoio nas atividades de exploração e produção de petróleo e tem mais de 40 anos de experiência no setor.

Por: Diario de Pernambuco

Comentários

Outras notícias