Black Friday Ubannet

23/08/2018 às 14h29m - Atualizado em 23/08/2018 às 14h44m

Adolescente morre e outro fica ferido ao levar choque em cerca elétrica clandestina na Zona da Mata de Pernambuco

Delegado Romel Ricardo afirmou que dono da casa, em Nazaré da Mata, fugiu, está sendo procurado pela polícia e deve ser autuado por homicídio.

hospital_da_restaurao

Um adolescente morreu e outro ficou ferido depois de levar um choque em uma cerca elétrica em uma casa em Nazaré da Mata, na Zona da Mata de Pernambuco. De acordo com o delegado Romel Ricardo, que investiga o caso, o dono da residência fugiu, está sendo procurado pela polícia e deve ser autuado por homicídio por ter instalado um sistema de proteção clandestino.

Irlan Carlos de Lima Nascimento, 14 anos, e Cleyton Cifrônio da Silva, 16 anos, tentaram pular o muro da residência, localizada na Rua do Sol, na área central da cidade. Segundo o delegado, eles encostaram em um arame eletrificado instalado pelo proprietário para impedir a entrada de pessoas estranhas.

Os dois foram atendidos, a princípio, no Hospital Ermírio Coutinho, em Nazaré da Mata, município distante 65 quilômetros do Recife. Os garotos levaram o choque no início da tarde de quarta-feira (22) e, logo em seguida, Irlan Carlos teve uma parada cardíaca.

De acordo com a direção da unidade, o médico atestou que o óbito foi causado por uma descarga elétrica. A equipe ainda tentou reanimá-lo, mas não conseguiu.

Cleyton Cifrônio foi transferido para o Hospital da Restauração (HR), no Derby, na área central do Recife. Segundo a assessoria de comunicação da unidade, nesta quinta-feira (23), ele encontra-se no setor de trauma. Ainda de acordo com a unidade, o estado de saúde do paciente é grave e ele está entubado.

Investigações

O Delegado Romel Ricardo informou, nesta quinta, que está investigando informações repassadas por moradores da área onde ocorreu o choque elétrico. Segundo ele, o dono da casa puxou um fio e colocou em um arame para tentar bloquear a passagem de jovens.

“Na área, relataram que os adolescentes costumavam entrar na casa para praticar furtos. Vamos ouvir moradores para confirmar isso”, declarou.

Para o polícia, o proprietário da residência infringiu normas ao instalar um sistema de segurança desse tipo. Segundo Romel Ricardo, para usar cerca eletrificada é preciso ter autorização de autoridades e seguir regras de voltagem, amperagem e altura.

“E isso não aconteceu. Era um fio ligado em uma rede de 220 volts. Uma cerca clandestina que colocou em perigo as pessoas. No mínimo, ele assumiu o risco de matar”, afirmou.

Comentários

Outras notícias