Black Friday Ubannet

15/08/2018 às 07h26m

Corpo de José Pimentel é velado no Recife; sepultamento será às 10h desta quarta

Familiares, amigos e fãs do ator e produtor prestam as últimas homenagens durante o velório na Assembleia Legislativa.

jose-pimentel-velorio

Familiares e amigos se despedem do ator, diretor, dramaturgo, produtor e professor aposentado de Teatro da UFPE José Pimentel, o velório acontece na Sede da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), no bairro da Boa Vista, na área central do Recife.

O ator faleceu na manhã desta terça (13), aos 84 anos. A morte foi provocada por um câncer de pâncreas descoberto após a internação em decorrência de um enfisema pulmonar. Ele deixa a esposa Aurinete e a única filha, Lilian Pimentel, uma neta e um bisneto.

Nesta quarta-feira (15), às 8h, o corpo sairá da Alepe com destino ao Cemitério de Santo Amaro, no centro da capital. Segundo informações da família de José Pimentel, o sepultamento está previsto para as 10h.

Atendendo a um pedido feito por ele antes de falecer, o corpo foi velado com a vestimenta utilizada na interpretação de Jesus Cristo. De acordo com a filha, Lilian Pimentel, o ator pediu, ainda, que seu legado seja transmitido, com a continuidade da Paixão de Cristo do Recife e a criação de um teatro com o nome dele onde sejam oferecidos cursos gratuitos para a população. “O maior presente da minha vida foi ter um pai como ele. Ele deixa muita coisa não só para a família, mas para a cultura. O ‘Pernambuco das Paixões’ existe por sua causa. Tudo o que ele quis foi sempre para o povo. É um exemplo a ser seguido”, declarou.

Trajetória – Nascido em Garanhuns, em 11 de agosto de 1935, José Pimentel considerava, apesar de algumas experiências anteriores, ter estreado nos palcos em 1956, como Pôncio Pilatos, na peça Drama da Paixão, do Grupo Dramático Paroquial, no Recife. A partir daí, passou a fazer parte de diversas montagens até entrar para o Teatro Adolescente do Recife, onde reencontrou Ariano Suassuna para a primeira montagem de “A Compadecida”, no mesmo ano. A peça se consagrou no Rio de Janeiro, onde foi premiada como melhor espetáculo no I Festival de Amadores Nacionais, em 1957.

Na Paixão de Cristo de Nova Jerusalém, integrou o elenco anualmente, assumindo personagens cada vez maiores. Também refez o texto da peça e assumiu a direção do espetáculo até que, em 1978, passou a interpretar o papel principal. Até 2017, foram 39 anos ininterruptos interpretando Jesus Cristo, 21 deles no Recife, onde o artista começou a montar o espetáculo a partir de 1996.

No dia 13 de julho de 2017, o ator, que também era jornalista e foi professor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), foi eleito Patrimônio Vivo de Pernambuco pelo Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Cultural. Antes de ser internado, Pimentel estava trabalhando em Serra Talhada, no Sertão, na direção do espetáculo O Massacre de Angico – A Morte de Lampião.

Comentários

Outras notícias