07/08/2016 às 19h39m

Santa Cruz é derrotado pelo São Paulo em casa

Principal fator para a vitória do time paulista foi a qualidade dos homens de frente e a tranquilidade para finalizar as jogadas

Com informações do site Leia Já - Foto: Paulo Uchôa

Foi sofrida a última partida do Santa no "primeiro turno" do Brasileirão. Vai ficar difícil se livrar do rebaixamento se o time repetir as falhas apresentadas na tarde deste domingo no Arruda. Depois de um primeiro tempo desorganizado e marcado pela forte discussão entre Milton Mendes e Jadson, um dos principais reforços do Santa na série A, o segundo foi melhor, mas não o suficiente para nem ao menos empatar a partida. O nervosismo mostrado pelo treinador, pareceu ser o principal obstáculo para que o Santa transformasse em gols as chances. O que não falou do outro lado.

Com essa, o Santa chegou a seis derrotas dentro de casa no Brasileirão. Com um baixíssimo aproveitamento de 40% dos pontos disputados no Arruda e uma difícil missão de reveter a péssima campanha até o final do campeonato.

Vontade sem organização foi castigada

O Santa até que começou bem o jogo. Com muita vontade e uma forte marcação, o tricolor do Arruda dominou os 10 primeiros minutos de jogo, mas parou por aí. Depois, o São Paulo com um plantel visivelmente melhor qualificado conseguiu impor seu ritmo forçando o Santa a ficar atrás da linha do meio, esperando por um erro do clube paulista.

Com o recuo do time da casa, o São Paulo se impôs chegando algumas vezes com perigo, principalmente, em jogadas pela esquerda com Mena e Cueva. Mesmo assim, foram poucas as chances claras de gol. Duas. Aos 22, Chavez e Hudson tabelaram e o segundo entrou de cara para o gol. Hudson chutou forte para boa defesa do paredão coral. Aos 38, porém, o goleiro do Santa não teve chance. Cueva deu passe para Mena, que chegou cruzando forte. Chavez subiu e testou no alto, abrindo placar.

Destaque para a forte discussão entre o técnico Milton Mendes e o volante Jadson, flagrada por câmeras de TV, onde o comandante coral teria mandado o jogador "calar a boca". A briga foi feia e o volante foi substituído no intervalo.

Melhora, pressão e, de novo, castigo

Apresentando-se mais organizado, o Santa voltou com amplo domínio do jogo. Foram muitas chances criadas, nem todas com muito perigo, mas o suficiente para fazer o torcedor imaginar que o resultado seria seria revertido. O futebol é implacável. Depois de perder oportunidades, errando o último passe, o Santa foi castigado novamente com um gol de contra ataque, novamente de Chavez.

O Santa ainda insistiu e assustou os torcedores paulistas. Arthur sofreu pênalti e Grafite foi para a cobrança. Perdeu. Minutos depois, Keno girou na área e fez belo gol, seu quarto no campeonato. Mas a pressão, a vontade e a dedicação dos jogadores não foi páreo para a qualidade do time do São Paulo, que precisou apenas acertar algumas jogadas para criar chances muito mais claras e aproveitar duas delas para vencer o jogo.

Ficha do Jogo:

Santa Cruz: Tiago Cardoso, Léo Moura (Renatinho), Neris, Danny Morais e Tiago Costa; Derley, Jadson (Arthur), Danilo Pires e João Paulo; Keno e Grafite

São Paulo: Denis, Buffarini, Lyanco, Maicon e Mena; João Schmidt, Thiago Mendes (Wesley) e Hudson; Kelvin, Cueva e Chávez (Gilberto)

Árbitro: Bruno Arleu de Araújo (ASP FIFA-RJ)

Assistentes: Rodrigo F. Henrique Corrêa (FIFA-RJ) e Thiago Henrique N. C. Farinha (ASP FIFA-RJ)

Cartões amarelos: João Schmidt e Mena (SP). Derley (SC)

Gols: Chavez (2) e Keno

Público: 12.532

Renda: R$ 205.870

Comentários

Outras notícias