Black Friday Ubannet

17/07/2017 às 15h50m

Multidão de fiéis se concentra no centro do Recife para reverenciar Nossa Senhora do Carmo

Dom Fernando Saburido, Arcebispo de Olinda e Recife, preside a missa campal no pátio do Carmo

festa_nossa_senhora_do_carmo

Devotos de várias partes do Recife e região coloriram o pátio do Carmo de amarelo e marrom, as cores-símbolo da Mãe do Carmelo, ao longo deste domingo, 16 de julho, quando se comemora o dia de Nossa Senhora do Carmo. Trazendo flores amarelas e brancas nas mãos, vestindo as cores da padroeira secundária do Recife, famílias e gerações reunidas na fé, fortaleceram a devoção. Desde o início do dia, a partir das 5h da manhã, as celebrações eucarísticas aconteciam, de hora em hora, alternando-se na Basílica do Carmo e no claustro do convento carmelita.

Na metade da manhã, Dom Antônio Tourinho, bispo auxiliar da Arquidiocese de Olinda e Recife, presidiu a missa solene, no interior da Basílica, e à tarde, o arcebispo metropolitano, dom Fernando Saburido presidiu a solene missa campal, no pátio do Carmo, e acompanhou a procissão de encerramento da festa da padroeira, pelas ruas do centro. Para os organizadores da 321ª festa de Nossa Senhora do Carmo, o quantitativo de fiéis que acompanhou a procissão foi de 200 mil pessoas. O tema da festa neste ano foi Viva a mãe de Deus e nossa – O Carmelo rejubila o tricentenário do teu encontro no solo brasileiro, fazendo referência ao jubileu dos trezentos anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Conceição Aparecida.

O frei Cassiano Barbosa, frade carmelita, informou que este ano a Província Eclesiástica Carmelita está particularmente feliz, pois comemora os cem anos de publicação do decreto que agregou a basílica menor (do Carmo) à Basílica de São Pedro, no Vaticano. Às 10h da manhã, dom Antônio Tourinho, bispo auxiliar da Arquidiocese de Olinda e Recife, presidiu a missa solene, concelebrada pelo frei Altamiro Tenório da Paz, Prior Provincial da Província Carmelitana Pernambucana, frei Joaquim da Luz, vigário episcopal do Vicariato Boa Viagem, padre Bruno Lira, frei Carlos e padre Robson. O padre Augusto César, vice-chanceler da Arquidiocese, atuou como cerimoniário da celebração. Em sua homilia, dom Antônio Tourinho destacou que no Recife, a mãe de Deus é honrada com o nome de Mãe do Carmelo. O bispo auxiliar convidou a assembleia a repetir: “Viva a mãe de Deus e nossa, sem pecado concebida!”

O interior da Basílica do Carmo estava repleto de fiéis vindos de várias partes da cidade, como a professora aposentada Laudicéia Ferreira. Vestindo amarelo, a devota estava acompanhada da filha Maria Carmélia e do neto caçula José Afonso, de três anos de idade. “Viemos de Jardim Paulista e vamos passar o dia aqui, agradecendo pela saúde de meu neto, que teve meningite no ano passado e se salvou. Pedimos com fervor a intercessão de Nossa Senhora do Carmo e ela não nos abandonou”, revela emocionada a avó da criança.

Como previsto, às 16h, a solene missa campal foi presidida por dom Fernando Saburido, diante da presença de milhares de devotos e de religiosos carmelitas. A chuva não intimidou os fiéis, que participaram atentos da missa. Dom Fernando Saburido falou de sua satisfação em presidir uma solenidade tão especial para o Recife. Após a celebração eucarística, um dos momentos mais aguardados da programação teve lugar.

O andor de Nossa Senhora do Carmo, ornado com flores fazendo referência à bandeira brasileira, foi conduzido para o pátio do Carmo, juntando-se ao cortejo de religiosos que seguiram em procissão pela avenida Nossa Senhora do Carmo, avenida Martins de Barros, Praça da República, rua do Sol, avenida Guararapes e terminou retornando pela avenida Dantas Barreto, ao pátio do Carmo. Para encerrar a programação, centenas de fiéis assistiram ao show religioso do padre Damião Silva.

Tradição do Escapulário do Carmo – São Simão Stock foi um frade carmelita inglês que viveu no século XIII. Tornou-se Prior Geral da Ordem dos Carmelitas e segundo uma tradição católica, Nossa Senhora do Monte Carmelo apareceu-lhe numa visão, no ano de 1251, e entregou-lhe o escapulário como sinal de sua proteção. Na visão, a Mãe do Carmelo pronunciou a São Simão Stock as seguintes palavras: “Hoc tibi et tuis privilegium: in hoc moriens salvabitur” (“Aquele que morrer usando o Escapulário com devoção não padecerá no fogo do inferno”).

Comentários

Outras notícias