Black Friday Ubannet

12/07/2019 às 11h03m - Atualizado em 12/07/2019 às 11h20m

Juiz que foi condenado por estelionato, corrupção e outros crimes é preso

O juiz aposentado André Rui de Andrade Albuquerque, de 59 anos, foi condenado a 17 anos de prisão e 300 dias-multa pela 3ª Vara Criminal de Jaboatão.

 juiz-presoAs informações são do G1PE

O juiz André Rui de Andrade Albuquerque, de 59 anos, foi preso nesta quarta-feira (10), após ser condenado pela Justiça de Pernambuco, em segunda instância, pelos crimes de estelionato, falsificação de documentos públicos e particulares, corrupção e falsidade ideológica. 

A prisão foi realizada pela Delegacia Interestadual e Capturas (Polinter), do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (Draco) da Polícia Civil. O magistrado aposentado foi preso em seu escritório, por volta das 11h, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife. O delegado Paulo Furtado coordenou a ação.

Segundo a Polícia Civil, ele vendia sentenças e praticava fraudes, em conluio com advogados, oficiais de Justiça e empresários, quando atuava na 1ª Vara Cível de Jaboatão. O TJPE informou que ele foi condenado a 17 anos de prisão e 300 dias-multa pela 3ª Vara Criminal de Jaboatão.

Um dia de multa equivale a dois salários mínimos da época em que ocorreram as irregularidades, o que, no período, era de R$ 260. A Polícia Civil ainda informou que André Rui foi levado ao Centro de Observação e Triagem Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, no Grande Recife.

Ele não tem direito a prisão especial e cumpre pena no regime fechado. Um juiz deve indicar para qual presídio ele será levado. A decisão se deu em trânsito em julgado, sem a possibilidade de recurso, em 20 de junho de 2019.

André Rui foi o primeiro juiz a ser aposentado compulsoriamente (de forma obrigatória) pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), em 2007, depois de ser preso na Operação Mãos Dadas, do próprio tribunal com o Ministério Público de Pernambuco (MPPE).

Ele foi acusado de falsificar sentenças para facilitar um golpe de R$ 990 mil, em 2004, contra um aposentado que tinha a fortuna disputada por herdeiros.

A reportagem entrou em contato com a defesa de André Rui. O advogado João Olímpio Mendonça informou que, por se tratar de um processo que já dura mais de uma década, precisaria se inteirar do caso para poder se pronunciar.

Nota

Nesta quinta-feira (11), o Sindicato dos Oficiais de Justiça de Pernambuco (Sindojus- PE) informou, por meio de nota, que ao contrário do que foi informado pela Polícia Civil, não há registro da participação de um oficial de justiça no caso do ex-juiz.

 

Comentários

Outras notícias