Black Friday Ubannet

03/07/2019 às 17h22m - Atualizado em 04/07/2019 às 09h28m

Motorista que furou o sinal vermelho, atropelou cadeirante e deixou o local do acidente sem prestar socorro é subtenente do Exército

Exército abriu procedimentos administrativos que resultaram na punição disciplinar do militar

cadeirante_atropelada_no_centro

O Comando Militar do Nordeste (CMNE) confirmou, em nota divulgada nesta terça-feira (2), que o motorista envolvido na morte de uma cadeirante na Avenida Agamenon Magalhães, no Centro do Recife, é um subtenente da ativa. O acidente aconteceu no dia 13 de junho, enquanto a vítima identificada como Ivanice Felix da Silva, de 67 anos, estava atravessando a faixa de pedestres e um carro ultrapassou o sinal vermelho em alta velocidade. Houve ainda outra pessoa com ferimentos leves. O motorista fugiu do local.

O Exército abriu procedimentos administrativos para apurar o fato da demora da comunicação do ocorrido por parte do militar, bem como em relação ao fato de ele ter alegado estar conduzindo seu automóvel sem ter condições físicas adequadas. O subtenente alegou ser portador de diabetes, segundo a nota. A apuração resultou na punição disciplinar do subtenente, ficando a investigação do acidente a cargo da Polícia Civil.

Foi aberta também uma sindicância administrativa, por parte do 7º Grupo de Artilharia de Campanha (7º GAC), sediado em Olinda, para acompanhar o caso. O militar permanece realizando suas atividades em funções administrativas. "O CMNE lamenta o acidente e o falecimento ocorridos, solidarizando com a família enlutada, e afirma que está colaborando com as investigações no sentido de esclarecer todos os fatos que envolvem esse acontecimento", diz a nota.

Um vídeo mostra o momento do acidente. Localizado pela Delegacia de Delitos de Trânsito, o suspeito já prestou depoimento, mas como passou o prazo do flagrante ele acabou sendo liberado. No entanto, responde por homicídio, omissão de socorro e outros crimes. Procurado pela Folha de Pernambuco, o delegado Paulo Jean, responsável pelo caso, informou que o inquérito ainda não foi concluído.

Comentários

Outras notícias