21/06/2017 às 15h24m

Maceió: Gerente comercial é achado estrangulado e amarrado embaixo da cama

Os policiais disseram que vários objetos da casa sumiram, o que pode levar a crer que se trata de um caso típico de latrocínio. A vítima é natural de Pernambuco.

iml

O representante comercial Aroldo Flavius Cataldi, que tinha 46 anos, foi encontrado morto com sinais de estrangulamento, na manhã desta quarta-feira (21), na residência onde ele morava, em Maceió. O corpo dele estava embaixo da cama e amarrado, de acordo com informações repassadas pela polícia. O suspeito do crime foi preso.

Aroldo Flavius morava na Rua Liberato Michel, que fica no conjunto Salvador Lyra, parte alta da capital há 13 anos e também já foi gerente da Fábrica da Pedra, em Delmiro Gouveia. Os policiais disseram que vários objetos da casa sumiram, o que pode levar a crer que se trata de um caso típico de latrocínio. A vítima é natural de Pernambuco.

No entanto, o presidente do Grupo Gay de Alagoas (GGAL), Nildo Correia, levantou a suspeita de que o crime pode ter conotação homofóbica. Inclusive já contabiliza esta morte como a sétima praticada contra pessoas da comunidade LGBT em Alagoas somente em 2017.

De acordo com Nildo Correia, a vítima foi encontrada amarrada com um cinto e pode ter sido asfixiada com este objeto. Em seguida, o corpo foi deixado embaixo de uma cama. Pela manhã, foi recolhido ao Instituto Médico Legal (IML) após perícia técnica.

O mecânico Alexandre da Silva Amorim, de 23 anos, foi preso na manhã desta quarta-feira por suspeita de ter matado Aroldo. A prisão foi efetuada por militares do 5º Batalhão de Polícia Militar (BPM). Segundo a polícia, o suspeito levou objetos e o carro da vítima.

O caso será investigado pelo delegado Thiago Prado, da Delegacia de Roubos da Capital.

Do Portal Gazetaweb

Comentários

Outras notícias