21/06/2014 às 14h33m - Atualizado em 21/06/2014 às 15h28m

Na terra natal, Zizinho apresenta o Estado ao filho Giovanni dos Santos

De Timbaúba, ex-jogador pernambucano que fez carreira no México está no Brasil para torcer pela seleção mexicana, pela qual o genitor é um dos maiores craques

As voltas que o mundo do futebol dá muitas vezes traçam histórias bonitas, bem construídas. Em alguns momentos, os contornos são impressionantes. Neste fim de semana, o ex-jogador pernambucano Zizinho, com carreira feita toda no futebol mexicano, terá a oportunidade de apresentar a um dos três filhos o Estado onde nasceu. Craque da seleção do México, que atua na segunda-feira, contra a Croácia, pela Copa do Mundo, Giovanni dos Santos poderá brilhar na terra em que o genitor jamais foi destaque.

Natural de Timbaúba, na Zona da Mata de Pernambuco, muito cedo Zizinho ingressou no São Paulo Futebol Clube, aos 14 anos. Aos 17, profissionalizou-se. Logo no primeiro ano foi vendido para o América, do México. Deixou o Brasil e escolheu o novo País para morar e fazer carreira. Chegou a voltar para atuar no Santos, mas logo retornou ao México, onde concluiu pendurou as chuteiras.

- Estou feliz por estar no Brasil de novo. Sou daqui e fico feliz por ver a seleção do México fazer um bom trabalho na Copa do Mundo. Mais feliz ainda porque Giovanni está indo bem.

Brasileiro e apaixonado pelo País, Zizinho não esconde a torcida nesta Copa do Mundo. E não poderia ser diferente. Ao ver o filho vestir a camisa 10 do México, o ex-jogador garante que muda as cores na hora.

Giovanni dos Santos é um dos craques do Mundial e quem faz Zizinho, pernambucano, torcer pelo México

- Eu sou brasileiro e não escondo de ninguém. O meu coração é brasileiro, mas como o meu filho é mexicano e está jogando pela seleção, estou torcendo pelo México. Estou com ele.

Para Zizinho, a missão do México e do filho não é fácil. Num grupo com Brasil, Croácia e Camarões, os mexicanos chegam no último confronto com chances reais de classificação para a segunda fase. Basta um empate contra a Croácia, nesta segunda-feira, para garantir a vaga nas oitavas de final.

- O time do México é bom, mas o grupo é difícil. Espero que consiga se classificar junto com o Brasil. Para mim são os dois favoritos. Acredito que vai ser um jogo decisivo. Jogamos pelo empate, mas acho que mesmo assim tem que sair para tentar ganhar o jogo.

A confiança na classificação, no entanto, não se estende quando o assunto é o restante do torneio. Para Zizinho, o confronto das oitavas de final é a primeira pedreira que o México terá pela frente, mesmo sem conhecer ao certo o adversário.
- Se passar vai complicar. Vai ser mais difícil porque vai ter que pegar Chile ou Holanda. Creio que eles dois são os favoritos junto com Brasil e Alemanha. Vai ser muito difícil.

Por Lucas Liausu (Recife)

Foto: Lucas Liausu

Comentários

Outras notícias