14/06/2017 às 17h44m - Atualizado em 14/06/2017 às 19h13m

Menina de sete anos realiza campanha em prol de animais abandonados

Giovanna Gabriely alimenta os cães da estação de metrô de Cavaleiro, em Jaboatão, há três meses. Agora, ela vende camisetas para custear o projeto

animais

Quando, há 9 meses, a pequena Giovanna Gabriely Santana, de 7 anos, se tornou lobinha do Grupo Escoteiro Brantmeeters, ela se comprometeu a “fazer todos os dias uma boa ação.” A promessa, que dá início à trajetória de um pequeno escoteiro, faz parte do dia a dia da estudante. Há três meses ela criou uma estrutura para alimentar cães abandonados na estação de metrô de Cavaleiro, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife. Agora, para expandir o projeto Patinhas Carentes, realiza campanha de venda de camisetas em prol dos amigos de quatro patas.

“No caminho até a escola eu sempre via os cachorros e ficava com muita pena”, conta Giovanna. Quando a mãe explicou que os animais se alimentavam de restos de comida no lixo porque eram de rua, a pequena não aceitou o argumento. “Ela disse que todos tinham um pai e uma mãe, e que se os cachorros estavam na rua era porque tinham sido abandonados por alguém. Naquele momento, eu acordei. Uma criança estava vendo problemas que passam despercebidos por muitos adultos no dia a dia”, relata a mãe, Gabriela Vanessa Santana, 32. Desde então, a garota alimenta diariamente os animais.

Com a ajuda dos pais, Giovanna criou uma estrutura usando materiais reciclados encontrados na feira do bairro. A frase “Eles não são de rua, eles foram abandonados” está estampada em uma plaquinha. Todas as manhãs, mãe e filha abastecem os recipientes com água e comida. “Outras pessoas se engajaram e contribuem com a causa. O grupo escoteiro também ajuda com doação de ração”, conta Gabriela.

O amor pelos animais vem de casa. A família tem cachorros de estimação desde que a menina nasceu. Atualmente é com Pingo, um yorkshire de 3 anos, que Giovanna passa a maior parte do tempo. “Ela sempre amou os cachorros e acariciava os animais na rua. Mas eu sinto que depois de ter virado escoteira, esse cuidado aumentou. No movimento, eles têm o lema de cuidar dos animais e das plantas. Hoje eu vejo que ela é uma criança diferente, que pensa mais nos outros”, avalia a mãe.

Janyson Lima, 39, pai da menina, espera que a iniciativa inspire outras crianças e adultos. “É um exemplo de como custa pouco fazer alguma coisa. Muitas pessoas têm condições financeiras e não fazem nada para ajudar os animais abandonados.”
Um segundo ponto chegou a ser instalado duas vezes na feira de Cavaleiro, mas foi retirado por comerciantes. Agora, a família estuda outros locais na região que possam receber a iniciativa.

Por dia, os cachorros que vivem no entorno da estação consomem um quilo de ração. Com a mãe desempregada e o pai trabalhando como segurança, a garota teve a ideia de confeccionar camisetas para custear as despesas do projeto. “Embora outras pessoas ajudem, eu quis mostrar para Giovanna que a responsabilidade é dela. Quero que minha filha entenda que o sustento do projeto depende da venda das camisas”, destaca a mãe. As camisetas custam R$ 20 e podem ser adquiridas pelo telefone (81) 99906-8359.

RECONHECIMENTO
A história de Giovanna extrapolou os limites do Estado, resultando no reconhecimento por entidades públicas. Na segunda-feira, a menina foi premiada durante cerimônia realizada na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) em homenagem aos 110 anos do Movimento Mundial dos Escoteiros. A pequena recebeu o diploma de mérito regional da Região Escoteira do Estado. Além disso, deve receber as insígnias de “Meio Ambiente” e “Mensageiro da Paz” da Organização Mundial do Movimento Escoteiro (Omme).

Comentários

Outras notícias