Black Friday Ubannet

11/06/2015 às 11h46m - Atualizado em 11/06/2015 às 11h48m

Tribunal de Justiça de PE determina que policiais civis voltem ao trabalho imediatamente

Caso contrário, categoria deverá pagar multa de R$ 30 mil para cada dia parada

O desembargador José Fernandes de Lemos determinou que todos os policiais civis que se declararam paralisados nesta quarta-feira (10) devem voltar ao trabalho imediatamente ou receberão uma multa diária. O valor, caso a categoria resolva não seguir o requerimento, é de R$ 30 mil para cada dia de atraso, com limite de R$ 1 milhão e sem prejuízo posterior de prorrogação. Apesar da decisão, o sindicato da categoria afirmou, à tarde, que ainda não havia sido notificado e que manterá a paralisação até a 0h da sexta-feira (12).

Depois da determinação do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), a única mudança na mobilização por melhores condições de trabalho foi referente aos Institutos de Medicina Legal (IML) do Recife, Caruaru e Petrolina. A intenção era deixar todos sem realizar exames de necropsia, impedindo, assim, a liberação de corpos. Mas, por questão humanitária, o serviço foi retomado às 12h.

A decisão foi tomada em assembleia realizada na sede do sindicato que representa a categoria, no bairro de Santo Amaro, na área central do Recife, na noite da última segunda-feira (8). Nesta quinta (11), os policiais farão nova assembleia para avaliar o movimento. Eles reivindicam a isonomia de gratificação de risco de vida, equiparada com a dos delegados, que recebem 225% do salário base. Os profissionais pedem, ainda, revisão do plano de cargos e carreiras e um reajuste de 8% com base na correção da inflação de 2014, além de abertura de concurso publico.

Por meio de nota, a Secretaria de Defesa Social (SDS) reafirmou a disposição ao diálogo com a categoria.


Com informações da Folha de Pernambuco

Comentários

Outras notícias