Black Friday Ubannet

05/06/2018 às 13h13m - Atualizado em 06/06/2018 às 21h16m

Mulher tenta sepultar corpo do pai que está no IML há sete meses

Ela conta que o Instituto Médico Legal de Sergipe fez o exame de DNA no início de novembro, mas ainda não recebeu o resultado.

iml-piaui 

Há sete meses, a dona de casa Josefa Verônica tenta liberar no Instituto Médico Legal de Sergipe (IML), em Aracaju, o corpo do pai que foi encontrado em um matagal, ao lado da casa onde morava no município de Simão Dias (SE), no dia 30 de outubro do ano passado. Como havia desaparecido há cerca de sete dias, o corpo já estava em avançado estado de decomposição.

A única filha de José de Freitas Souza, de 54 anos, conta que depois que o corpo foi recolhido a direção do instituto fez algumas exigências. “O IML não conseguiu encontrar digitais no corpo do meu pai, nem a arcada dentária, que poderiam ajudar na identificação do material genético. Aí pediram pra gente pegar um laudo com o dentista dele, mas o profissional também já morreu, e estamos nesta longa espera, sem saber o que fazer”, conta.

Dias depois do corpo ter sido recolhido, Josefa voltou ao IML e foi submetida a um exame de coleta do material genético, mas até esta segunda-feira (4) não recebeu o resultado.

“Toda vez que a gente vai lá eles pedem calma, que o resultado do exame ainda não foi enviado. Já estou cansada de esperar. A família só quer ter o direito de fazer o sepultamento e acabar com o sofrimento”, desabafa.

Ao G1, a assessoria de comunicação Secretaria de Segurança Pública (SSP) disse que o exame foi enviado para um laboratório de DNA na Bahia, está em contato com o laboratório para obter o resultado rapidamente e que a liberação do corpo depende exclusivamente do resultado do exame de DNA.

A assessoria de comunicação disse também que é necessário enviar o exame para a Bahia, pois o estado não possuiu o laboratório capaz de realizar o teste, porém deve inaugurar um laboratório de DNA em Sergipe a partir do segundo semestre deste ano e, a partir daí, não vai ser mais necessário o envio para outro estado a fim de ter essas conclusões.

Informações: G1 Sergipe

Comentários

Outras notícias