Black Friday Ubannet

31/05/2018 às 10h56m - Atualizado em 31/05/2018 às 12h39m

Ministério Público Estadual coordena Força Tarefa para investigar e reprimir o aumento abusivo de preços em Timbaúba

Promotor de Justiça, Dr. João Elias, reuniu PM, Polícia Civil, PROCONs Estadual e Municipal, Secretaria Municipal de Comércio e coordenou ações conjunta nesta quarta-feira (30)

dscf0551

Após várias denúncias feitas por consumidores sobre o aumento abusivo de preços, entre eles, o gás de cozinha, gêneros alimentícios e outros insumos importantes no dia-a-dia, o Ministério Público Estadual por intermédio do Promotor de Justiça, João Elias da Silva Filho, convidou representantes dos PROCON’s estadual e municipal, Polícia Militar, Polícia Judiciária, Prefeitura Municipal e imprensa, para juntos acharem uma solução para a crise provocada pelo desabastecimento devido a paralisação dos caminhoneiros.

dscf0541

A Audiência Pública coordenada pelo Promotor de Justiça, Dr. João Elias, aconteceu às 10:30h desta quarta-feira (30), na sede da Promotoria de Justiça da Comarca de Timbaúba. Representou a Polícia Judiciária, o Dr. Marcos Maggi, delegado titular da 46ª DP, e a Polícia Militar foi representada pelo Sargento PM Leovergildo Galdino. Estavam presentes também Roosevelt Suna, do PROCON-PE, e Robson Borges, PROCON-Timbaúba. Olívio Neto, Sales Pereira e Ronaldo Gomes da Secretária de Comercio, Agricultura e Pecuária de Timbaúba. O Site Timbaúba Agora e Blog JA, registraram o evento.

Diante dos presentes, Dr. João Elias explanou sobre o descontentamento de consumidores que o procuraram para denunciar sobre a prática abusiva da majoração de preços por parte de alguns comerciantes que estaria se aproveitando da situação para obter lucro indevido. Após relato do representante do MPPE, autoridades policiais e representantes dos PROCONs também opinaram e chegaram a unanime conclusão em formar uma “Força Tarefa” para uma fiscalização surpresa.

Saiba mais informações sobre Timbaúba clicando AQUI

dscf0542

OPERAÇÃO DE COMBATE AOS PREÇOS ABUSIVOS NAS RUAS DE TIMBAÚBA

Era quase meio-dia e o Promotor de Justiça, polícias Civil e Militar, PROCON’s, Secretaria Municipal de Comércio e imprensa, reuniram-se em frente a Promotoria de Justiça para iniciar a força tarefa com o objetivo de fiscalizar e usar a força da lei, caso houvesse necessidade. Três estabelecimentos foram visitados.

dscf0546

O primeiro na Vila da Cohab, onde segundo doutor João Elias, houve denúncia que estaria vendendo gás de cozinha por R$ 200,00.  O proprietário do estabelecimento negou que estivesse comercializando a esse valor e mostrou poucos botijões. Ele ainda disse que apenas comprava o gás de botijão para consumo próprio.

dscf0550

PROMOTOR DE JUSTIÇA DR. JOÃO ELIAS VISITA POSTOS DE COMBUSTÍVEIS, OUVE GERENTES E CONVERSA COM CONSUMIDORES

dscf0552

Após fiscalização em mercadinho na Vila da Cohab, a caravana seguiu para um posto de bandeira SHELL em frente ao Terminal Rodoviário de Timbaúba, onde de longe dava para se perceber uma enorme fila de veículos e pessoas portando galões a espera pelo abastecimento. No momento da visita, uma carreta portando milhares de litros de combustíveis chegou para abastecer o posto. O promotor conversou com o gerente e ouviu reclames dos consumidores que formavam a gigantesca fila. Doutor João Elias, mediou pequenos conflitos e verificou os preços dos combustíveis que estavam dentro da legalidade. Algumas pessoas estavam com mais de um galão, neste caso, o representante do MP, determinou que o posto liberasse apenas R$ 20,00 por pessoa. O Timbaúba Agora apurou que na tarde desta quarta-feira (29) o Posto Albuquerque Pneus localizado na Avenida Ferreira Lima, estava liberando no máximo o valor de R$ 100,00 de combustíveis para carros e R$ 40,00 para motocicletas até a normalização do abastecimento.

f008e578-2a5f-4d73-9cc1-5a4ddfc737df

Em seguida a operação em defesa do consumidor liderada pelo Dr. João Elias seguiu para outro posto de combustíveis localizado próximo a ponte Micheline Pessoa Campos, a exemplo da visita anterior. No Auto Posto Evangélico, o promotor também dialogou com as pessoas que esperavam abastecimento, verificou os preços praticados (estavam dentro da legalidade), ajudou a organizar a fila e após conversar com o gerente e proprietário por telefone ficou decidido que fosse liberado apenas R$ 20,00 por recipiente. Essa decisão foi necessária para evitar que pessoas de má fé comprassem vários galões para revender o ainda raro combustível.

dscf0554 678f4f15-f97e-469a-9015-2d5bd5a2bd1f

MAIS FOTOS DA FISCALIZAÇÃO CONJUTA:

dscf0543

dscf0545

dscf0548

dscf0550

dscf0553

Comentários

Outras notícias