Black Friday Ubannet

14/05/2018 às 11h40m - Atualizado em 15/05/2018 às 09h34m

Delegacia de cidade paraibana ainda usa tortura contra presos, diz advogado

Segundo o advogado de defesa das vítimas, Ronaldo Jordão, um cofre é usado para torturar presos na delegacia da cidade de Barra de Santa Rosa no Curimataú Paraibano.

advogado-tortura

As vítimas Luciano e Lucas, denunciaram ao Juíz e ao Promotor da Comarca de Barra de Santa Rosa, região do Curimataú da Paraíba, que foram presos dentro de um cofre por mais de 7h, sem comer e sem beber nada, em meio a fezes e urinas, num ambiente altamente insalubre, portanto contra os direitos e garantias fundamentais do cidadão, conforme Carta Magna de 1998.

O advogado de defesa das vítimas de tortura, Ronaldo Jordão está acompanhado o caso.

As vítimas foram presas arbitrariamente entre os dias 3 e 4 do mês corrente, e colocadas dentro de um cofre, apanharam para assinar depoimentos que efetivamente não prestaram.

O Advogado Ronaldo Jordão, vai levar o caso as corregedorias: Da Justiça, Ministério Público, Polícia Civil, Polícia Militar e Comissão de Direitos Humanos da OAB-PB.

A Associação Brasileira dos Advogados Criminalistas – ABRACRIM, ao tomarem conhecimento do caso, abraçou a causa, em apoio ao advogado Ronaldo Jordão, e em defesa dos direitos e garantias fundamentais do cidadão, inicialmente através da ABRACRIM Goias e Paraíba.

O criminalista Ronaldo Jordão com atuação nos estados de Pernambuco e Paraíba, que também é advogado do caso Pretinho Alves, que foi morto pela Polícia Militar do estado de Pernambuco em 17 de março de 2017 em Itambé, bem como o caso do professor Walyngre ,que foi covardemente assassinado em Pedras de Fogo com 32 facadas, casos de repercussão na mídia nacional, haja vista, a perspicácia do causídico.

A delegacia da cidade de Barra de Santa Rosa, funciona atualmente, onde antes era a coletoria municipal, e por esse motivo o cofre ainda está na parte Interna da Delegacia, onde supostamente os acusados são colocados dentro desse cofre e ficavam detidos.

Por: Ronaldo Jordão

Comentários

Outras notícias