Black Friday Ubannet

04/05/2017 às 10h54m

Troca de tiros durante perseguição policial após sequestro deixa um morto e dois feridos no Grande Recife

Perseguição teve início na praia de Gaibu, no Cabo de Santo Agostinho. Viatura da PM seguiu carro utilizado pelos sequestradores até Pontezinha, onde três pessoas foram baleadas.

Troca de tiros aconteceu em uma área de comércio em Pontezinha, no Cabo de Santo Agostinho 

Uma perseguição policial no município do Cabo de Santo Agostinho, na Região Metropolitana do Recife, deixou uma pessoa morta e outras duas feridas no fim da tarde desta quarta-feira (3). Segundo a Polícia Militar, a ocorrência teve início quando duas pessoas sequestraram um homem de 56 anos na praia de Gaibu, e, em seguida, o veículo utilizado para fuga foi perseguido por uma viatura da PM.

Em uma área comercial de Pontezinha, houve troca de tiros entre os sequestradores e os policiais militares. “Eu estava em casa quando escutei os tiros. Foi muito chocante. A violência aqui no Cabo está muito grande”, contou ao G1 um morador do bairro que preferiu não se identificar.

Depois da troca de tiros, os dois sequestradores e a vítima foram baleados e encaminhados ao Hospital Dom Helder Câmara, no Cabo. A vítima, atingida no abdômen e na coxa, foi encaminhada para uma cirurgia e seu quadro clínico é considerado estável. Um dos sequestradores, baleado no abdômen, não teve lesões internas nos órgãos e passou por um procedimento de limpeza do local atingido. O estado de saúde dele não preocupa os médicos.

Ainda de acordo com a unidade de saúde, o terceiro homem chegou a dar entrada no hospital, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu no local. O envolvido no sequestro estava sem identificação, mas aparentava ter aproximadamente 20 anos, segundo a assessoria de comunicação da unidade.

A área em que ocorreu o tiroteio foi isolada pela Polícia Militar até a chegada do Instituto de Criminalística, que realiza perícias no carro e nas armas utilizadas pelos sequestradores. A Polícia Civil fica responsável por investigar o sequestro da vítima.

Comentários

Outras notícias