Black Friday Ubannet

07/04/2019 às 11h30m - Atualizado em 07/04/2019 às 14h59m

Na Paraíba, artistas e movimentos sociais realizam Festival Lula livre em João Pessoa neste domingo

De acordo com o presidente do PT na Paraíba, Jackson Macedo, as manifestações acontecem não só no país, mas em diversas cidades da Europa, América do Sul e Estados Unidos.

lula_1

Neste domingo (07), dia em que se completa um ano da prisão wdo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, movimentos populares e organizações políticas de 16 países, incluindo o Brasil, irão realizar ações articuladas na Jornada Internacional Lula Livre. As mobilizações vão até o dia 10.

Em João Pessoa o ato contará com a presença de diversos artistas e está marcado para as 15h no Parque da Lagoa.  

De acordo com o presidente do PT na Paraíba, Jackson Macedo, as manifestações acontecem não só no país, mas em diversas cidades da Europa, América do Sul e Estados Unidos. 

"A jornada nacional inicia hoje e vai até o dia 10, em João Pessoa haverá um ato inter-religioso, político e cultural com a presença de vários artistas do estado e a expectativa é de um bom público", disse.  

Jackson reafirmou que a prisão de Lula foi política e que o ex-presidente está detido porque representa um projeto político de país que não pode estar solto nas ruas contra Bolsonaro. "Por isso mantêm-se Lula preso. Não temos nenhuma perspectiva com relação ao judiciário, só com muita pressão social e mobilização popular é que vamos conseguir tirar nosso companheiro da prisão", afirmou.

O presidente do PT também destacou que a prisão do petista faz parte do "enredo do golpe", onde a sequência começa com um radical combate ao PT por pelo judiciário, depois o impeachment da presidente Dilma Rousseff, seguido de um governo extremamente conservador com Michel Temer e eleições sem Lula porque "sabiam que ele venceria no primeiro turno".

Organizadores nacionais também apontam que o juiz que o condenou o ex-presidente, Sérgio Moro, se tornou ministro da Justiça do governo de Jair Bolsonaro, principal beneficiado pela prisão do petista e a consequente retirada dele da corrida eleitoral. 

No Brasil, 17 capitais já confirmaram agenda de mobilizações. Outras 32 atividades estão sendo organizadas em cidades de mais 15 países. “O processo difamatório e injusto, do qual Lula é vítima, provoca indignação no Brasil e no exterior”, destaca um comunicado do Comitê Lula Livre, que lembra ainda que o caso do ex-presidente é analisado pelo Comitê de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU).

Comentários

Outras notícias