GB Bateiras
Ubannet

04/04/2017 às 11h36m - Atualizado em 07/04/2017 às 07h04m

MPPE cria força-tarefa para investigar descaso e mortes nas unidades da Funase

As promotorias dos municípios de Vitória, Caruaru, Timbaúba, Garanhuns e Cabo de Santo Agostinho, vão participar da força-tarefa. Todas onde há unidades da Funase.

casee

As informações são do JC Imagem Oline

Um dia após a Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) registrar uma nova rebelião e três mortes em Vitória de Santo Antão, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) decidiu criar uma força-tarefa para investigar os casos de violações de direitos humanos e as responsabilidades criminais pelas barbáries ocorridas nas unidades do Estado. A iniciativa é do coordenador do Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça de Defesa da Infância e Juventude, promotor Luiz Guilherme Lapenda.

Várias promotorias vão participar da força-tarefa, entre elas a Criminal, a de Patrimônio Público e a dos municípios como Vitória, Caruaru, Timbaúba, Garanhuns e Cabo de Santo Agostinho – todas onde há unidades da Funase. Em paralelo, estão sendo feitas investigações na área criminal para apurar as mortes e, na área do patrimônio público, para averiguar desde a estrutura de pessoal à ausência de repasses para a construção de novas unidades, medida que consta de acordo já celebrado com o Estado e que é objeto de ação executória, o que minimizaria a questão da superlotação.

Inspeções na Funase

As inspeções na unidade de Vitória de Santo Antão já começaram a ser feitas, bem como as investigações para apurar os motivos dos crimes e quais as medidas que estão sendo tomadas pelo Governo do Estado para evitar a repetição dos fatos. 

As inspeções e investigações serão estendidas a todas as unidades socioeducativas da Funase em Pernambuco (de internação), bem como as unidades de semiliberdade.

Comentários

Outras notícias