Black Friday Ubannet

24/03/2017 às 08h31m - Atualizado em 20/12/2017 às 21h02m

Promotor de Justiça, Dr. João Elias, atuará no polêmico caso do jovem agredido por policial militar em Itambé- PE

Dr. João Elias, atualmente acumula as duas Promotorias de Timbaúba, foi designado pelo Procurador Geral de Justiça de Pernambuco, para conter a onda de violência em Itambé.

mppe

Considerando a situação de segurança pública no município de Itambé nos últimos meses, o Procurador Geral de Justiça, Francisco Dirceu Barros, designou o Promotor de Justiça de Timbaúba, Dr. João Elias da Silva Filho, para atuar em Itambé no exercício cumulativo. A portaria de número 586/2017, foi publicada no Diário Oficial nesta quinta-feira (23). A nomeação atendeu à solicitação feita pela Promotora de Justiça em exercício no município.

A princípio, o representante do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), que atualmente acumula as duas Promotorias de Timbaúba, Dr. João Elias, terá pela frente um caso polêmico que teve repercussão nacional, principalmente por ter acontecido em um protesto contra a violência na localidade. O caso do jovem atingido por uma bala de borracha disparado a queima roupa por policial militar durante uma manifestação na sexta-feira passada no distrito de Caricé em Itambé. As imagens foram gravadas por um manifestante, e o vídeo foi distribuído para a imprensa do Estado e logo despertou muita atenção a nível nacional.

O promotor de Dr. João Elias falou com exclusividade ao Timbaúba Agora sobre o caso e disse que sua primeira atitude será entrar em contato com a colega Fabiana Machado, promotora de Itambé e obter informações. E juntamente com ela traçar todo o cronograma de ações. Como oitivas com os envolvidos, vítima e parentes, lideranças do movimento. Se reunir com o comandante da Polícia Militar na área, com a Defensoria Pública, com o delegado que está investigando o caso e outras autoridades local.

dscf8466Dr. João Elias disse que tudo que aconteceu será investigado com zelo e ética: "A forma como foi realizada a operação policial, desde o acionamento da instituição, o comparecimento da guarnição policial no local da manifestação, a observação de toda a sequencia técnico-operacional da equipe, o comportamento dos manifestantes, a realização do disparo e o socorro da pessoa atingida.”. O promotor afirmou que haverá necessidade de esclarecer “se o policial que efetuou o disparo tinha o treinamento ideal para o equipamento utilizado, como também se o comportamento dos manifestantes exigiu o uso de tamanha força.”. Dr. João Elias ressaltou ainda que criará meios para que a questão de segurança em Itambé seja avaliada e enfrentada tecnicamente. Para tanto, o promotor disse que há necessidade de articulações com as instituições policias Civil e Militar, com o judiciário, com as autoridades do próprio município, com a Secretaria de Defesa Social e até se for o caso com o próprio governador.

No caso específico, o promotor diz que todas as ações do Ministério Público, sejam elas de investigação, articulação, requisição, recomendação e acionamento do Poder Judiciário, terão com bases os princípios da Cautela e Técnica nas investigações, firmeza nas recomendações das mudanças (administrativas e operacionais) necessárias à melhoria da segurança pública para a comunidade, e de absoluta intransigência para com as condutas lesivas à Ordem Jurídica (crimes ou inobservância de padrões técnicos).

Exímio articulador, Dr. João Elias está no Ministério Público de Pernambuco desde 1995 e acumula uma vasta experiência na área militar. Pois foi oficial de Infantaria do Exército Brasileiro. Também no Exército foi instrutor de diversas matérias, dentre elas Tiro e Operações de CDC (Controle de Distúrbio Civil). Além de ser membro e instrutor da Federação Paraíba de Tiro Esportivo.

Indagado pela reportagem do Timbaúba Agora se por estar à frente das duas promotorias de Timbaúba e agora especificamente com o caso da insegurança em Itambé, por questões de tempo ele enfrentará alguma dificuldade, Dr. João Elias respondeu que em certos momentos chegou a ficar com quatro promotorias, duas em Timbaúba, Ferreiros e Itambé.

Devido à complexidade do caso, houve uma rápida repercussão no Nordeste e até no Brasil, com isso vem acontecendo uma notória cobrança, perguntamos como o Ministério Público pretende agir, o promotor João Elias respondeu: “Vou seguir todas as normas trabalhando tecnicamente sem interferência política ou emocional

Entenda o caso:

Segundo Secretaria de Defesa Social (SDS), o número de vítimas de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) em Itambé nos dois primeiros meses deste ano já supera o número de mortes do ano de 2013. Diariamente são vários assaltos no comercio e aos transeuntes. Ônibus escolares atacados, alunos e motoristas agredidos e ameaçados por pessoas portando arma branca e revólver. Situação que culminou com o decreto municipal suspendendo temporariamente as aulas na rede pública e o transporte escolar. Daí o motivo das manifestações contra a violência.

Em uma destas manifestações contra a violência na sexta-feira (17/03), Edvaldo Alves dos Santos, 22 anos, foi atingido na coxa por uma bala de borracha, quando acompanhava um grupo que protestava na PE-75. O estudante está internado no Hospital Miguel Arraes, em Paulista, na Região Metropolitana do Recife.

De acordo com o vídeo mostrado, o comandante da ação policial deu a ordem para que o soldado desse o tiro, e este o fez a uma distância de menos de dois metros. Edvaldo, em poucos segundos, foi ao chão sangrando muito. E, mesmo nessa situação, o soldado com arma em punho o arrastou como se fosse um saco de lixo, e ainda agrediu o rosto do rapaz, que foi arremessado em cima da carroceria de uma viatura.

Timbaúba Agora com informações de Reginaldo A. Silva/Renato Melo


Vídeo mostra manifestante sendo baleado em Itambé, PE

Comentários

Outras notícias