Black Friday Ubannet

23/03/2018 às 14h25m - Atualizado em 23/03/2018 às 15h40m

Ministro Raul Jungman abandona o PPS com críticas duras ao 'senhor presidente' Roberto Freire

Em solidariedade ao ministro da Segurança Pública, três influentes dirigentes do PPS também desligaram-se do partido nesta quinta-feira (22)

raul_jungmann

O ministro Raul Jungmann (Segurança Pública) enviou carta nesta quarta-feira (21) ao presidente regional do PPS, Manoel Carlos, pedindo desligamento do partido por não concordar com a forma como está se dando a filiação do deputado federal Daniel Coelho (PSDB).

Jungmann critica a maneira pouco democrática como está sendo feita esse processo e faz duras críticas ao (ex-amigo) Roberto Freire ao lado de quem militou no PPS desde a sua fundação.

Veja a íntegra da carta:

Brasília, 21 de março de 2018

À direção, amigos, amigas, companheiros e companheiras do PPS

I- Hoje estou me desligando do meu e do nosso partido, ao qual servi integralmente nos últimos 26 anos, desde sua fundação. Na verdade, rompo hoje uma relação que vem de muito antes, desde o início dos anos 70, tempo da resistência democrática, portanto, mais de 40 anos da minha vida pessoal e pública.

II- Ao longo dessas mais de quatro décadas, exerci três mandatos de deputado federal e um de vereador do Recife, tendo disputado seis eleições.

III- Com muita dignidade e honra, representei nosso partido nos mais altos cargos da República, tendo sido, dentre outros postos (*), ministro da Reforma Agrária, da Defesa e já agora da Segurança Pública. Em todos eles, honrei o nome, os princípios e os valores do PPS.

IV- Exerci ainda, e com aplicação, cargos nas estruturas partidárias municipal, estadual e nacional, cumprindo sempre e no limite das minhas capacidades, os encargos, missões e responsabilidades a mim atribuídas ou delegadas.

V- Desligo-me do partido, meu único partido ao longo de toda minha vida pública (**), por discordar da forma pela qual se deu a entrega do seu comando partidário aos que nele ingressarão, uma forma autoritária, que desconsiderou instâncias, sem transparência e ao arrepio da democracia interna.

VI- Chegou-se ao cúmulo do arbítrio de impedir e retirar membros indicados da delegação do Estado de Pernambuco ao Congresso Nacional do partido e substituí-los ao sabor das preferências do senhor presidente nacional (Roberto Freire), sem qualquer comunicação à direção estadual!

VI- Nada temos a opor à entrada de novos quadros no partido; aliás, ela se faz necessária diante dos desafios à frente. Mas, à custa do respeito e história dos que fazem e fizeram o PPS, é inaceitável e humilhante.

VII- Sigo na política, escolha de vida inafastável dos meus sonhos por um mundo mais justo e de paz. Foi apenas pelas responsabilidades e riscos de assumir a segurança pública do Brasil nesse grave momento de crise, que declinei de participar das eleições, exclusivamente, este ano.

VIII- Aos que permanecem, meus melhores votos de felicidade, sucesso e paz.Jamais imaginei que esse dia viesse ao meu encontro.

IX- Saudações democráticas e de eterno carinho e amizade. Muito obrigado a todos e a todas.

Raul Jungmann

(*) Secretário Estadual de Planejamento, Presidente do Incra, Presidente Nacional do Ibama, Presidente do Conselho de Administração do BNDES.

(**) Fui, como muitos, membro do MDB durante a resistência democrática.

Três influentes dirigentes do PPS desligaram-se do partido nesta quinta-feira (22), em solidariedade ao ministro Raul Jungmann, que abandonou a legenda em protesto como o deputado Daniel Coelho (PSDB) está ingressando na legenda: sem interlocução com a direção estadual.

Desligaram-se do partido o presidente estadual Manoel Carlos, o presidente do diretório do Recife, Felipe Ferreira Lima e a ex-presidente Débora Albuquerque.

Veja a carta de Manoel Carlos:

Cabo de Santo Agostinho, 21 de março de 2018

Aos membros do Diretório Estadual e a todos os filiados(as) do Partido Popular Socialista em Pernambuco

Meus caros companheiros e companheiras do nosso querido e estimado Partido. É com muita tristeza e desapontamento que venho através desta, comunicar o meu pedido de desfiliação do Partido Popular Socialista – PPS.

Militante egresso do Partido Comunista Brasileiro, onde iniciei a minha trajetória, dediquei os últimos 25 anos da minha vida pública e privada na construção de uma sociedade mais justa, fraterna e democrática, e no combate intransigente da intolerância, da arrogância e de todo tipo de preconceito e descriminação.

Neste período, sempre fui um militante ativo dentro daquele que imaginava ser o único Partido ao qual me filiaria, e que tem como slogan “UM PARTIDO DECENTE”, onde exerci com muito zelo e esmero todos os cargos e funções a mim confiados. E que nos últimos dias, vem através do seu Presidente Nacional, me mostrando que não é mais um ambiente onde se possa praticar a radicalidade democrática e a garantia do contraditório.

Quero neste ato, me dirigir aos filiados da minha querida cidade do Cabo de Santo Agostinho, e aos seus homens e mulheres de uma forma geral. Cidade esta, que me concedeu por duas vezes a honrosa tarefa de exercer um mandato de vereador no Poder Legislativo local.

Aos filiados do PPS, quero agradecer pela generosidade e acolhimento que sempre norteou a nossa convivência. Isso é um até breve, porque a nossa disposição em lutar se renova a cada dia e se fortalece a cada desafio superado.

Durante a minha permanência neste Partido, fui vereador por duas vezes, disputei quatro eleições, presidi o Diretório Municipal do Cabo de Santo Agostinho por mais de uma vez, ocupei cargos de gerências nas Prefeituras do Cabo e de Jaboatão dos Guararapes, e sempre atuei ativamente nas tarefas partidárias que me foram delegadas.

Por fim, quero agradecer a experiência e a todos(as) com os quais tive a oportunidade de conviver no exercício da Presidência Estadual, cargo este que exerci nos últimos 12 meses, e que em virtude da falta de comunicação interna, e da intransigência daqueles que se sentem donos dessa agremiação partidária, deixo efetivamente de exercer ao assinar esta nota.

“UM PARTIDO SEMPRE SERÁ MAIOR DO QUE AS PESSOAS QUE OS COMPÕEM”.

Saudações e abraços fraternos!

Atenciosamente,
Manoel Carlos

Veja a carta de Débora Albuquerque

Prezados e prezadas companheiros e companheiras,

Depois de 12 anos filiada ao PPS, partido que servi de forma honrada e dedicada, como militante, como árdua representante na coordenação de mulheres, ou ainda representando nossas bandeiras seja como candidata a vereadora em Jaboatão dos Guararapes ou exercendo destacados cargos na gestão pública, como neste momento, comandando a Secretaria de Cidadania e Diversidade Cultural do Ministério da Cultura, venho, através desta carta anunciar a minha desfiliação do partido.

Essa minha decisão irrevogável se dá em função dos últimos acontecimentos, quando a nossa direção estadual em Pernambuco foi vítima de uma intervenção branca por parte da direção nacional, e de seu presidente, de uma forma arrogante e autoritária, ordenando o adiamento de nosso Congresso Estadual e vetando os nomes de companheiros honrados indicados por nós como delegados ao Congresso Nacional da nossa legenda.
Dessa forma, para poder continuar a exercer a política com dignidade e com ética, bandeiras que levarei comigo, sou obrigada a deixar a legenda que ajudei a construir presidindo-a  por vários anos em Pernambuco.

Obrigada aos companheiros e companheiras que me ajudaram nesses anos felizes de militância política no Partido Popular Socialista.

Débora Albuquerque

Veja a carta de Felipe Ferreira Lima

À Direção do PPS Pernambuco e aos companheiros do PPS Recife,

Vivo hoje, sem sombra de dúvidas, o momento mais difícil, e ao mesmo tempo desafiante, da minha ainda jovem caminhada político-partidária. Em prol dos mais caros princípios democráticos e da honra (minha e de todos os companheiros do diretório do Recife), chego forçosamente ao fim de uma curta, porém  intensa relação com o PPS.

Ao longo de quatro anos, de maneira desprendida e espontânea, procurei contribuir para erguer um partido limpo no auge da onda de descrença do cidadão brasileiro com a política. Primeiro, abracei uma candidatura à Câmara do Recife que, com poucos recursos e muita coragem, emplacou uma suplência e conseguiu deixar a mensagem da renovação nas ruas, ajudando a elevar a imagem positiva do partido a nível local. Depois, percorri um duro trajeto que me levou à Presidência do Diretório Municipal do PPS na Capital Pernambucana. Nele, diminuímos diferenças entre lideranças, resgatamos filiados afastados, reerguemos militantes históricos e, enfim, construímos um projeto coletivo para fortalecer o partido nos próximos pleitos eleitorais.

Tudo isso foi interrompido, de forma autoritária, pela Direção Nacional que, à moda antiga, optou por agir sorrateiramente ao determinar, de maneira injustificável, o cancelamento do nosso Congresso Estadual e solicitar que indicássemos delegados ao Congresso Nacional (entre eles, eu e o presidente estadual), os quais, às vésperas, tiveram seus nomes retirados pessoalmente pelo Sr. Presidente do Diretório Nacional.

Diante dos sucessivos atos que deslegitimam minha condição de dirigente e militante partidário, decidi fechar esse ciclo com a plena convicção de que cumpri integralmente meu papel de Presidente. Aprendi, com os valorosos exemplos de homens públicos que tenho em casa, dentre eles o estimado tio-avô Egídio Ferreira Lima, que, na política, silenciar é se apequenar e que a coragem sempre caminha ao lado dos vocacionados.

Aos companheiros, amigos e correligionários, agradeço toda confiança, deixando o abraço apertado de um militante que vestiu com orgulho a camisa do PPS e tem a total consciência do tamanho da importância dessa agremiação na sua caminhada política.

Seguirei firme na vida pública e obstinado no sonho de fazer da política um verdadeiro instrumento de transformação social. Sigamos em frente. Sempre.

Muito Obrigado!

Comentários

Outras notícias