Black Friday Ubannet

22/03/2018 às 13h10m - Atualizado em 22/03/2018 às 13h27m

Pastor é preso suspeito de estuprar pelo menos seis crianças e adolescentes

O homem tem 52 anos e está preso preventivamente por estupro, após denúncia do pai de uma das vítimas. As crianças e adolescente, que têm entre seis e 12 anos.

estupro_3

Um pastor foi preso suspeito de estuprar pelo menos seis crianças e adolescentes no Bairro Sapiranga, em Fortaleza. O homem tem 52 anos e está preso preventivamente por estupro, após denúncia do pai de uma das vítimas. As crianças e adolescente, que têm entre seis e 12 anos, fazem parte da igreja onde o suspeito atuava.

De acordo com o delegado Levy Louzada, da Delegacia de Combate à Exploração da Criança e do Adolescente (Dececa), o pastor era investigado há dois anos. Em 2017, o celular do suspeito foi apreendido pela polícia e foram encontrados materiais pornográficos e de pedofilia, incluindo sexo explícito com menores de idade.

O pastor é casado e tem filhos. A polícia está investigando os crimes cometidos entre 2012 e 2016. Se condenado, a pena pelos crimes contra as vítimas identificadas até agora pode chegar a 90 anos de prisão, diz o delegado.

‘Acima de suspeita’

A forma de atuação do suspeito era sempre a mesma. Segundo Louzada, o pastor visitava as famílias com a desculpa de orar pelas crianças, e costumava ir às residência inclusive quando os pais não estavam presentes. “Para eles, era uma honra o pastor ir à residência orar pelas filhas”, explica o delegado.

Lá, ele mostrava às vítimas os materiais pornográficos que guardava no celular, no intuito de demonstrar a naturalidade dos atos, e praticava o estupro. “Era um sujeito acima de qualquer suspeita. Muito bem quisto pela sociedade, e usava isso para praticar os atos”, ressalta Louzada.

De acordo com o delegado da Dececa, uma das vítimas chegou a ser forçada a praticar sexo oral com o suspeito.

O pastor também costumava presentear as crianças com chocolates ou dinheiro. A polícia acredita que assim conseguia evitar a denúncia das vítimas.

Flagrado

Com a frequência das ações, alguns familiares foram desconfiando da conduta do homem. Segundo o delegado, em uma ocasião, a avó de uma menina chegou em casa e flagrou a neta com o pastor, enquanto o homem mostrava à criança as imagens no celular. Ao ver a avó, a menina correu até ela com o aparelho na mão, e a mulher viu o conteúdo.

Em outro episódio, o pastor chegou à residência procurando pela neta. Desconfiada, a avó orientou que a menina não o deixasse entrar, mas avisasse que estava sozinha. Com isso, o homem conseguiu entrar na residência, mas acabou encontrando a avó. Após o caso, o pastor não voltou mais à casa da família, segundo conta o delegado.

Prisão

O pai de uma das meninas procurou a polícia após a filha reclamar, durante uma discussão familiar, que o pai deixava o pastor ter acesso à residência.

Em depoimento após ser preso, o pastor negou as acusações de estupro. No entanto, o delegado Levy Louzada afirma que, ao ser confrontado sobre os materiais que guardava no celular, o pastor “apenas abaixou a cabeça”.

Fonte: G1

Comentários

Outras notícias