Black Friday Ubannet

23/02/2018 às 06h41m - Atualizado em 23/02/2018 às 06h57m

Delegacia do Consumidor interdita academias em Jaboatão dos Guararapes

A Operação da Polícia Civil em Jaboatão foi em parceria com o Ministério Público, Conselho Regional de Educação Física, Bombeiros, Vigilância Sanitária e PROCON.

fechado

A Delegacia do Consumidor (DECON) da Polícia Civil de Pernambuco deflagrou, em parceria com o Ministério Público de Jaboatão, o Conselho Regional de Educação Física, Corpo de Bombeiros, Vigilância Sanitária e o PROCON, uma operação de fiscalização em academias de ginástica no município de Jaboatão dos Guararapes. A Operação foi montada atendendo à denúncia de que alguns estabelecimentos  funcionavam sem autorização e sem profissionais habilitados, o que pode colocar em risco a saúde dos frequentadores.

“Essa, na verdade, é a segunda etapa da operação. A Primeira foi realizada no dia 18 de janeiro e teve um caráter educativo. Dessa vez, estamos revisitando esses locais para ver se ainda estão em funcionamento ou se houveram as adequações necessárias”, explica a delegada Beatriz Gibson, titular da Delegacia do Consumidor.

Seis academias foram vistoriadas, nos bairros de Porta Larga, Curado II e Barra de Jangada. Duas delas estavam fechadas, outras duas foram interditadas temporariamente e receberam prazos para cumprir os requisitos de funcionamento, como a adequação das instalações elétricas que colocam em risco quem frequenta o espaço, como também a vizinhança.

As duas últimas academias foram autuadas pela DECON pelo exercício ilegal de atividade, já que nos estabelecimento não havia profissionais de educação física habilitados. “A legislação estabelece que qualquer academia precisa ter profissionais de educação física para conduzir as atividades. Também precisa haver o registro no Conselho Regional de Educação Física e nos demais órgãos para ter o funcionamento legal”, explica Rebekka Kretzschman, representante do CREF.

Os estabelecimentos cobravam mensalidades que variam entre R$ 20 a 30 reais.

 

Comentários

Outras notícias