Black Friday Ubannet

21/02/2019 às 09h17m - Atualizado em 21/02/2019 às 09h51m

Jovem de 15 anos morre duas semanas após dar à luz, e família depreda hospital

No atestado de óbito, a causa da morte de Sthefany foi registrada como “disfunção de múltiplos órgãos e choque séptico”.

jovem-morta-hospital_-_copia 

Familiares e amigos da adolescente Sthefany Alves, de 15 anos, morta nesta terça-feira (19), em Barbalha, interior do Ceará, em decorrência de complicações pós-parto, se revoltaram contra o Hospital Maternidade São Lucas, onde a jovem teve o bebê, e depredaram portas e paredes do hospital enquanto seguiam em cortejo para o sepultamento da adolescente, nesta quarta (20).

No atestado de óbito, a causa da morte de Sthefany foi registrada como “disfunção de múltiplos órgãos e choque séptico”.

Sthefany Alves foi internada na maternidade, em Juazeiro do Norte, no último d 2 de fevereiro, o parto normal foi realizado no dia 7 de fevereiro. Segundo familiares, após dar à luz, ela continuou internada apresentando sangramento, febre de 39 graus e dor na barriga.

“A gente tem suspeita (de negligência) porque deixaram ela com a placenta dentro, de perna aberta, não sei quantas horas, esperando outro médico. Deu 39 graus de febre. Foi medicada e deram alta, mas não providenciaram saber o que deu febre na menina, eles não fizeram isso”, diz a mãe de Sthefany, Damiana Alves.

O hospital se manifestou por meio de nota, afirmando que será aberta uma sindicância para apurar o caso.

“O Instituto Médico de Gestão Integrada (IMEGI) vem, por meio deste, esclarecer que preza pela ética, responsabilidade, respeito e valorização do ser humano em todos os seus atendimentos, por isso, abrirá uma sindicância médica para apurar o ocorrido no caso da adolescente S.A.D, de 15 anos, citada na matéria, que deu a luz no Hospital Maternidade São Lucas”, diz a nota.

Dores e barriga roxa

Após receber alta, a jovem voltou a reclamar de dores e foi levada novamente à maternidade pelo menos outras três vezes seguidas, segundo a mãe. No local, a família era informada de que as dores eram causadas por gases intestinais, afirmam.

Ao perceber o corpo da garota adquirindo uma coloração roxa da barriga para baixo, segundo conta a cunhada da adolescente Vanderléia Xavier, a adolescente foi levada às pressas ao posto, de onde foi internada na maternidade e depois transferida ao Hospital São Vicente, em Barbalha.

Na unidade de Barbalha, Sthefany passou por cirurgia para retirada do órgão, teve duas paradas cardíacas, mas sobreviveu ao procedimento. No entanto, morreu na manhã desta terça (19).

O sepultamento ocorreu em Juazeiro, nesta quarta (20) e, durante o trajeto, ao passar pela maternidade São Lucas, familiares e amigos revoltados com a morte da jovem jogaram pedras nas portas e paredes do local.

“Ela tinha 15 anos, era uma boa filha, todo mundo amava ela. O tanto de gente que foi pro velório da minha filha...e minha filha se foi e ninguém mais vai dar vida a ela. A lembrança dela tá toda aqui dentro de casa”, lamenta a mãe.

Inormações: G1 Ceará

Comentários

Outras notícias