Black Friday Ubannet

19/02/2019 às 12h49m - Atualizado em 20/02/2019 às 10h29m

Moradores de Paudalho protestam e pedem respostas sobre desaparecimento de mulher sequestrada

Jussara Maria da Silva Pereira, de 34 anos, foi sequestrada na quarta (13) e, apesar da captura de dois suspeitos do crime na sexta (15), ainda não foi encontrada pela polícia.

mulher_sequestrada

Centenas de pessoas participaram de uma caminhada pedindo respostas sobre o desaparecimento de uma mulher em Paudalho, na Zona da Mata Norte de Pernambuco, nesta terça (19). De acordo com a família, Jussara Maria da Silva Pereira, de 34 anos, foi sequestrada na quarta (13). Na sexta (15), um homem e um adolescente foram detidos por suspeita de participação no caso.

A caminhada partiu da entrada de Paudalho e seguiu pela avenida principal da cidade. Vestidos de branco e segurando cartazes, amigos e parentes cobraram respostas para o desaparecimento de Jussara, conhecida na comunidade por Sara.

De acordo com a família, Jussara estava em casa com a mãe e os dois filhos quando foi sequestrada. O irmão da vítima, que preferiu não se identificar, disse que, desde então, não recebe notícias dela.

A caminhada seguiu até a Delegacia de Paudalho, onde os manifestantes fizeram uma roda de oração. A Polícia Civil informou que os jovens detidos na sexta-feira confirmaram a participação no sequestro. O Grupo de Operações Especiais (GOE), do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (Draco), assumiu o caso e disse que se pronunciaria ao final das investigações.

A dona de casa Josefa Maria Gomes conhece Jussara desde criança. Segundo ela, a vítima sempre foi bem-quista no local.

"Jussara é uma pessoa muito querida. Uma menina que conheço desde a infância, vi praticamente ela nascer. Ela é uma mãe exemplar, uma pessoa trabalhadora. Ela tem um pequeno comércio, vende pastéis na comunidade. O caminho dela era da igreja para casa e, às vezes, visitava o marido", afirma.

Maria José Ferreira frequenta a mesma igreja que Jussara e sente falta da amiga. "Há dez anos fazíamos parte da mesma congregação. A falta dela está sendo imensa, não só para mim, mas para toda a igreja", diz.

Do G1 PE

Comentários

Outras notícias