Black Friday Ubannet

18/02/2016 às 14h05m - Atualizado em 18/02/2016 às 14h19m

Aumenta o número de jovens em Pernambuco que concluíram o ensino médio com até 19 anos

Em um década índice de estudantes que terminaram a última etapa da educação básica subiu de 27,2% para 56,3%

Ensino integral, como acontece na Erem Nóbrega, no bairro da Encruzilhada, Zona Norte do Recife, contribuiu para melhorar os indicadores do ensino médio

Em uma década, dobrou o número de estudantes pernambucanos que concluíram o ensino médio com até 19 anos de idade. Em 2005 foram 27,2% de jovens no Estado com diploma da educação básica. Dez anos depois, em 2014, esse percentual subiu para 56,3%. Embora seja um aumento significativo, ainda é alto o índice de alunos que não terminam o ensino médio com essa idade (43,7%). O levantamento do Todos Pela Educação baseia-se na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad/IBGE). As escolas em tempo integral, que começaram a ser implantadas em Pernambuco em 2004 e hoje representam 40% das unidades estaduais com ensino médio, contribuíram para esse desempenho.

O estudo do Todos pela Educação é feito para monitorar a meta 4 do movimento, que estabelece que todo jovem de 19 anos deve ter o ensino médio completo. “Os resultado de Pernambuco e do País devem ser comemorados, mas com cautela. Finalmente, depois de uma longa história de descaso com a educação, percebemos que os indicadores estão melhorando. Políticas públicas que estão dando certo interferem positivamente nos índices. Acredito que as famílias, os jovens e os gestores públicos também estão dando mais importância à escola”, destaca o gerente de conteúdo do Todos pela Educação, Ricardo Falzetta.

O secretário de Educação de Pernambuco, Frederico Amancio, avalia que o programa de educação integral impacta os indicadores, mas ele ressalta que as escolas regulares de ensino médio (60%) também vêm apresentando avanços. O Estado tem atualmente cerca de 180 mil alunos matriculados no ensino médio em colégios regulares e 150 mil nas unidades integrais. Há 329 escolas integrais, sendo 29 técnicas. Até março serão inauguradas mais seis técnicas (no Ibura, Recife; São Lourenço da Mata, Paudalho, Arcoverde, Belo Jardim e Buíque). Até o final do ano outras quatro cidades ganharão escolas técnicas integrais (Abreu e Lima, Cabo, Caruaru e Bom Conselho).

“Temos que comemorar os indicadores positivos, mas preocupa ainda o alto índice de distorção idade-série no ensino médio (33,9% em 2014), apesar de Pernambuco ter sido o Estado que mais reduziu essa taxa de distorção”, diz Frederico Amâncio. Era 61% em 2007. “Boa parte dessa distorção já vem do ensino fundamental. Por isso temos que fortalecer parcerias e estratégias com os municípios, responsáveis pelas séries do fundamental, para avançarmos também nos anos iniciais da educação básica”, sugere o secretário.

SEM ESTUDAR

O levantamento do Todos pela Educação mostra também que no País 41,8% dos jovens de até 19 anos que não concluíram o ensino médio deixaram a escola e trabalham. Outros 28,8% nem estudam mais nem trabalham. Morador de Águas Compridas, Zona Norte do Recife, Wesley Leonardo, 19 anos, abandonou a escola dois anos atrás no último ano do ensino fundamental. “Achava melhor jogar bola que estudar”, conta Wesley. Ano passado, a namorada engravidou. “Vou ser pai mês que vem. Comecei a trabalhar numa oficina mecânica pois tenho que sustentar minha filha e agora minha esposa. Mas um dia quero voltar a estudar, quem sabe entrar numa faculdade”, diz o rapaz.


Por: Margarida Azevedo / JC Imagem
Foto: Ashelley Mello / JC Imagem

Comentários

Outras notícias