Black Friday Ubannet

17/02/2018 às 08h13m - Atualizado em 17/02/2018 às 08h42m

Mãe mata a filha deficiente e tenta suicídio, em Paulista

Elionay Rodrigues, de 29 anos, foi assassinada com uma perfuração profunda de arma branca na região do pescoço

 deficiente_morta_pela_maeInformações: site da Rádio Jornal. Uma mulher de 29 anos foi encontrada morta dentro da casa onde mora no bairro de Arthur Lundgren I, no município de Paulista, na manhã desta sexta-feira (16). De acordo com informações da polícia, Elionay Rodrigues da Silva foi assassinada pela própria mãe, a dona de casa Marli Rodrigues da Silva, de 54 anos. A filha estava com uma perfuração profunda de arma branca na região do pescoço.

O delegado de Maria Farinha, que recebeu a ocorrência, Álvaro Muniz, disse que o clima aconteceu durante a madrugada. As duas estavam sozinhas e Marli teria tido um surto antes de matar a filha que sofria de deficiência física e mental. Ainda de acordo com a polícia, após cometer o crime, a mulher teria tomado uma grande quantidade de antidepressivo e ingerido uma substância tóxica popularmente conhecida como chumbinho.

"Há um texto em uma agenda recolhida pela polícia em que ela se despede dos familiares numa situação muito típica, muito característica de quem ia tentar, e tentou, o suicídio e em que ela relata que está envolvida em muitos problemas. E justamente com o depoimento que eu recolhi com os familiares, são justamente problemas relacionados com a filha que morreu, que ela estava com um quadro de depressivo sem tratamento médico. No final da madrugada ela partiu para esfaquear a filha e foi encontrada uma quantidade de chumbinho, esse veneno que é utilizado para matar rato. Então, ela ingeriu uma boa quantidade e foi encontrada desfalecida", afirmou o delegado.

Marili Rodrigues foi socorrida pelo marido que é vigilante e viu a cena quando chegou em casa por volta das 5h. Ela está internada no Hospital Miguel Arraes, em Paulista, e o estado de saúde é estável. Uma vizinha da família contou que Marli tinha uma vida corrida e tomava remédios controlados, mas que nunca apresentou características de agressão com a filha.

MÃE CUIDAVA BEM DA FILHA

"Normal, ela nunca apresentou sinais de violência, nada que fosse fora do normal com a menina. Conheço ela há muitos anos, a gente era muito amiga e eu tô até agora sem acreditar. realmente porque, de fato, ela cuidava muito bem. A vida dela era dedicada a essa menina", disse a vizinha.

O corpo de Elionay foi encaminhado para o IML no Recife. Marli Rodrigues está custodeada e poderá responder por homicídio. mas a polícia também levará em conta o quadro depressivo que ela apresentava.

Comentários

Outras notícias