Black Friday Ubannet

17/02/2018 às 07h26m - Atualizado em 17/02/2018 às 08h01m

Carteiro e esposa são mortos na frente dos filhos na Mata Sul de Pernambuco

Criminosos arrombaram o portão com um machado e invadiram a casa do casal na noite da última quinta-feira (15). Crimes aconteceram em Ribeirão.

526d5e21ec2f09d1f85ec4edc26129fd_-_copia_2

Informações: Thiago Cabral/Folha de Pernambuco

Um casal foi assassinado a tiros na frente dos filhos na noite da última quinta-feira (15), na cidade de Ribeirão, na Mata Sul de Pernambuco. O crime aconteceu por volta das 20h30, quando criminosos arrombaram um portão de ferro com um machado e invadiram a casa. O casal estava no local na companhia da filha de três anos e do filho de nove anos.

No momento do crime, Lilian Araújo de Melo, de 32 anos, estava com a filha no colo. O marido, o carteiro Klayton Ferreira de Melo, de 35 anos, ainda tentou fugir se escondendo embaixo da cama, mas também foi atingido e morreu. Os dois eram muito religiosos e não tinham intriga com ninguém, segundo o tio de Klayton, Fernando Leite, que é secretário de Cultura da cidade.

"O que me revolta é a covardia. Meu sobrinho é evangélico, a vida dele é do serviço para casa e da casa para o serviço. O que me deixa mais triste é que fizeram isso na frente das crianças", lamentou Fernando. "Eles eram inocentes. Temos 100% de certeza de que foi engano", completou. O menino de nove anos contou a Fernando como aconteceu o crime. "Ela me disse que 'atiraram na bochecha da minha mãe'", contou. "Queremos que a Justiça tome uma decisão e corra atrás dessas pessoas sem escrúpulo", cobrou.

O pai de Klayton, o vendedor José Ferreira, de 55 anos, contou como ficou sabendo do crime. "Eu estava na igreja e chegou um carro do Samu. Pensei que fosse alguma ambulância e quando fui para o lado de fora me disseram que atiraram no meu filho e na minha nora. A minha reação no momento foi correr atrás da viatura do Samu e ir na delegacia prestar queixa. Pensei que fosse menos grave, mas quando cheguei lá tinham arrombado o portão com um machado", relatou. 

Segundo José, os criminosos estariam procurando uma vizinha. "Dizem que foram matar uma vizinha que tem histórico ruim e gritavam pelo nome dele. Meu filho dizia 'não é aqui não'. Ele fechou a porta do terraço e arrombaram a segunda porta. Meu filho correu com a esposa e meus dois netos para o quarto e se trancou lá".

"Tinha uma parede de dois metros. Ele subiu e atirou por cima. Quando chego no quarto, foi uma cena inesquecível. Estava meu filho numa poça de sangue e a minha nora estava de bruços em cima da cama", contou José. 

O velório será na Igreja Pentecostal Assembleia de Deus, no centro de Ribeirão, na tarde desta sexta. A previsão é que o enterro dos dois ocorra por volta das 17h no cemitério da cidade.

Comentários

Outras notícias