Black Friday Ubannet

08/02/2016 às 05h25m - Atualizado em 08/02/2016 às 05h31m

Encontro de Maracatu Rural incendeia Nazaré da Mata nesta segunda-feira (8)

Festa começa às 8h com apresentação de 38 grupos de 15 cidades da Zona da Mata

Maracatu de Baque Solto é Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil

Caboclos de lança com seus chocalhos e golas coloridas vão desfilar pelo centro de Nazaré da Mata (distante 65 quilômetros do Recife) nesta segunda-feira (8), anunciando a 17ª edição do Encontro de Maracatu Rural de Pernambuco. A concentração acontece a partir das 8h, no Parque dos Lanceiros. Depois, os grupos seguem em cortejo pelas principais ruas da cidade até a Praça Papa João XXIII, onde acontecem as apresentações. Neste ano, 38 grupos de 15 municípios da região vão desfilar numa festa que se estende até às 17h. É a tradição centenária do maracatu de baque solto, brincadeira que surgiu nos canaviais pernambucanos.

Reconhecida como a “Terra do Maracatu Rural”, Nazaré da Mata concentra 22 dos 105 grupos em atividade no Estado. “A brincadeira resiste e cresce graças à paixão dos mestres, que lutam para manter a tradição. Dos 19 municípios da Zona da Mata (berço da manifestação), 15 têm grupos de maracatu. O baque solto é uma cultura de amor, um patrimônio que precisa ser cuidado”, alerta o presidente da Associação dos Maracatus de Baque Solto de Pernambuco, Manoelzinho Salustiano.

“O folguedo não morre porque tradição e renovação caminham juntas. Temos mestres de 98 anos e jovens mestres de 18 anos perpetuando a história”, diz o secretário de Turismo e Cultura de Nazaré da Mata, Leonardo Martins. No final de 2014, os maracatus rural e nação receberam o título de Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil, concedido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). O reconhecimento foi oficializado em agosto de 2015, no Dia Estadual do Maracatu.

Um dos homenageados do Carnaval de Nazaré da Mata é José Manuel da Silva (Zé de Carro), que foi presidente e mestre caboclo do maracatu Cambinda Brasileira (o mais antigo em atividade no Estado) e morreu no ano passado. “Ele foi um grande mestre caboclo. Conhecia a tradição, sabia o que é cultura de verdade”, lembra Manoelzinho Salustiano. Este ano, o Cambinda Brasileira comemorou 98 anos de fundação. “Mestre Zé de Carro nos pediu que nunca deixássemos o maracatu morrer. Será uma grande responsabilidade desfilar este ano sem ele, mas vamos dar o melhor. Saímos com um novo estandarte de pedrarias e com novas fantasias”, diz o novo presidente Elex Miguel (conhecido como Léo).

Nazaré da Mata tem uma população estimada em 35 mil habitantes, mas recebe uma média de 23 mil visitantes durante o Carnaval, interessados em conhecer a festa dos caboclos guerreiros.


As informações são do Jornal do Comércio Online
Guga Matos/JC Imagem

Comentários

Outras notícias