Black Friday Ubannet

28/01/2019 às 10h15m - Atualizado em 28/01/2019 às 14h12m

Em 25 anos a Secretaria de Inspeção do Trabalho resgatou 776 pessoas em situações de trabalho escravo em Pernambuco

Dos municípios com mais altos de infração lavrados por conta do trabalho escravo, o destaque vai para Palmares na Zona da Mata Sul, Lajedos no Agreste e Recife.

trabalho_infantil

Nos últimos 25 anos a Secretaria de Inspeção do Trabalho (SIT) já resgatou 53.607 trabalhadores brasileiros em condições análogas a de escravos. No mesmo período em Pernambuco foram 776 resgates. Dos municípios com mais altos de infração lavrados por conta do trabalho escravo, o destaque vai para Palmares na Zona da Mata Sul, Lajedos no Agreste e Recife.

De acordo com o vice coordenador da coordenadoria nacional de erradicação do trabalho escravo do MPT, Ulisses Dias de Carvalho, o fato de não ter regastes recentes, não significa que o trabalho escravo não ocorra.

"A gente vem acompanhando situações bem limítrofes nas casas de farinhas, existe isso no Agreste e no Sertão do Estado. Em Araripe tem situações limítrofes, não houve resgastes, mas a situações problemáticas que a gente entende ser bem preocupantes e agricultura como um todo.  Sempre acompanhamos essa situação da agricultura porque é um setor que naturalmente ocorre situações de trabalho degradante”, disse.

Pena

O trabalho escravo pode ser caracterizado por jornadas exaustivas, condições degradantes, trabalhos forçados e restrição de locomoção por conta de dívidas com o empregador. O código penal prevê a pena de prisão de dois a oito anos, além de multa correspondente a violência cometida.

Comentários

Outras notícias