Black Friday Ubannet

28/01/2017 às 14h46m - Atualizado em 28/01/2017 às 16h27m

Show do cantor baiano Bell Marques ajudou a eleger prefeito de Itapissuma, diz Ministério Público Federal

O artista baiano foi a Itapissuma, em 12 de maio de 2016, para a emancipação política da cidade. Para a Procuradoria Regional Eleitoral, foram praticados nítidos atos de campanha política

O Ministério Público Federal (MPF) entrou com um recurso especial no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pedindo a cassação do prefeito de Itapissuma, José Bezerra Tenório Filho, conhecido como Zé de Irmã Teca, do PSD. Ele é acusado de abuso de poder econômico e político durante a campanha do ano passado. O motivo foi um show de Bell Marques que custou R$ 250 mil aos cofres públicos.

O artista baiano foi a Itapissuma, na Região Metropolitana do Recife, em 12 de maio de 2016, para a festa de comemoração da emancipação política da cidade. Para a Procuradoria Regional Eleitoral (PRE-PE), “foram praticados nítidos atos de campanha política para o pré-candidato apoiado pelo então prefeito Cal Volia (PSDB)”. Isso porque os dois fizeram gestos com as mãos simbolizando o número 55, do PSD, partido do atual gestor, que na época era presidente da Câmara dos Vereadores. Além disso, foi publicada uma foto no Facebook de Cal Volia em que os dois políticos e o cantor mostravam o mesmo gesto.

“Observa-se ainda que o cantor, Bell Marques, ex-vocalista do grupo Chiclete Com Banana, exalta o número do partido, quando menciona que o 55 é um número de sorte, nos seguintes termos: ‘O 55 é um número de sorte, de energia boa, um número positivo que só oferece coisas boas.’ Por sua vez, o candidato Zé de Irmã Têca retruca dizendo: “’Tá’ dado o recado, viu?'”, diz a denúncia do MPF.

Comentários

Outras notícias