Black Friday Ubannet

26/01/2019 às 13h02m - Atualizado em 26/01/2019 às 18h27m

Parentes e amigos se despedem de menina que morreu eletrocutada

A menina de três anos tenha recebido o choque em decorrência de um carregador de celular que estava conectado a uma tomada.

garota_eletrocutada 

O velório e enterro de criança que morreu  após receber uma descarga elétrica no Núcleo 9 do Projeto de Irrigação Senador Nilo Coelho, Zona Rural de Petrolina, no Sertão pernambucano, aconteceu nesta sexta-feira (25).

Família e amigos da menina de três anos, se reuniram, às 16h, no Cemitério Campo da Esperança, no bairro João de Deus, zona oeste da cidade onde residem, para prestar as últimas homenagens.

Investigação em andamento

As investigações sobre o caso foram assumidas pela delegada Sara Líbia, que colherá o depoimento dos pais da criança e da tia, que era responsável por cuidar da criança no momento da criança. “A partir da próxima semana começaremos a colher os depoimentos para entendermos melhor como se deu o acidente”, destacou Sara.

Segundo a delegada, testemunhas contaram à polícia que a menina recebeu a descarga elétrica após colocar o cabo do carregador, que estava ligado na tomada, na boca. Perícias do Instituto de Criminalística (IC) foram feitas, e, após resultado, serão anexadas às investigações.

“Também analisaremos a situação que o carregador estava, para ter causado essa forte descarga na criança”, detalha a advogada, que analisa o acidente foi causado por descuido dos responsáveis pela menina. 

Relembre o caso

Uma criança morreu por volta das 9h dessa quinta-feira (24) após receber uma descarga elétrica no Núcleo 9 do Projeto de irrigação Senador Nilo Coelho, Zona Rural de Petrolina, no Sertão pernambucano. A menina de três anos tenha recebido o choque em decorrência de um carregador de celular que estava conectado a uma tomada.

A criança chegou a ser socorrida e levada para a Unidade de Pronto Atendimento e Atenção Especializada de Petrolina (UPAE/Imip). No entanto, já deu entrada na unidade de saúde em óbito.

Comentários

Outras notícias