24/01/2016 às 09h21m - Atualizado em 24/01/2016 às 09h27m

Pernambuco: Explosão destrói parte de muro do Complexo do Curado e presos fogem

Até o momento não há informações do número de detentos foragidos. Caso ocorre 3 dias após fuga em massa na Barreto Campelo, em Itamaracá.

Três dias após 53 presos escaparem da Penitenciária Professor Barreto Campelo, em Itamaracá, no Grande Recife, uma nova fuga em massa foi registrada em uma das unidades prisionais do estado. No início da tarde deste sábado (23), parte de um dos muros do Presídio Frei Damião de Bozanno, no Complexo Prisional do Curado, no Grande Recife, foi destruído com explosivos. Um número ainda não informado de presos conseguiu escapar pela cratera formada. Durante a fuga, houve troca de tiros com a polícia e um detento acabou morrendo.

Até o momento não informações oficiais da Secretaria de Ressocialização do Estado (Seres) sobre o número de detentos foragidos e recapturados. Imagem divulgada pelo Sindicato dos Agentes e Servidores no Sistema Penitenciário do Estado de Pernambuco (Sindasp/PE) mostra o momento exato da explosão.

O secretário de Justiça e Direitos Humanos de Pernambuco, Pedro Eurico, afirmou que parte dos fugitivos voltou para dentro do presídio após ouvirem os tiros e que muitos já foram recapturados. A secretaria está realizando uma contagem de quantos detentos continuam foragidos. Eurico disse ainda que o governo investiga se há pessoas de dentro do aparelho do estado envolvidas nas duas fugas. "É muita coincidência duas ocorrências na mesma semana", comentou, se referindo também à fuga em massa registrada na Barreto Campelo.

De acordo com o secretário, placas de concreto estão sendo colocadas no muro de forma emergencial. Uma equipe de engenharia já foi acionada para realizar a reconstrução. Segundo ele, as visitas deste domingo (24) estão mantidas e a segurança interna e externa foi reforçada.

Um dos presos é capturado após fuga do Complexo do Curado

Momentos de Terror
Logo após a fuga, policiais militares iniciaram buscas em ruas e residências próximas ao complexo e conseguiram recapturar um número ainda não informado de presos. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) também realizou buscas em ônibus e outros veículos nos arredores da penitenciária na tentativa de encontrar os criminosos. Um deles chegou a invadir uma casa onde estava uma jovem de 17 anos. Foi nesse local, onde um dos detentos acabou atingido por um tiro e morreu.

O dono do imóvel, o ambulante Jersino Gonçalves, diz que a filha ficou em estado de choque com a presença do criminoso. "Ela me ligou desesperada. Ele veio se esconder aqui. Ia fazer a minha filha de refém. Mas antes que conseguisse foi morto. Minha filha está em choque, não consegui falar com ela", contou Jersino. O portão da casa dele a fachada de pelo menos outras três residências ficaram danificadas ao serem atingidas por destroços do muro.

Outros moradores da área relataram momentos de terror após a explosão. O mototaxista Carlos Alberto Silva contou que tomou um grande susto com o estrondo, por volta das 14h. "Era muito mais alto que um transformador estourando. Ainda ouvi a troca de tiros e vi muita gente correndo", relatou.

O atendente de restaurante Alexsandro Pereira, de 23 anos, precisou correr para tirar os sobrinhos de perigo. "Estava todo mundo na rua, meus quatro sobrinhos estavam brincando. A gente correu para pegá-los. Era muito tiro. Parecia um bloco de carnaval de tanto homem correndo na rua", relembrou.

O presidente do Sindicato dos Agentes e Servidores no Sistema Penitenciário do Estado de Pernambuco (Sindasp/PE), João Carvalho, afirma que protocolou um documento no dia 8 de janeiro, informando sobre uma suposta tentativa de fuga na unidade, que ocorreria com o uso de explosivos entre os postos de controle 5 e 6, justamente onde ocorreu a explosão. O documento, no entanto, afirma que a tentativa ocorreria entre os dias 9 e 10 de janeiro.

"Por que o governo é alertado em todos os momentos pelo serviço de inteligência e não toma nenhuma providência, como aconteceu na Barreto Campelo e agora aqui no Aníbal Bruno (antigo nome do Complexo do Curado). Essa pergunta precisa ser feita ao governo. Por que não coloca um reforço nas guaritas, um reforço na guarda interna, não dá estrutura para que os presos não possam escapar. Por que não tomam atitude? A gente já alertou essa questão na Barreto. O estado quer bater o recorde de evasão da população carcerária. O que eu estou vendo aqui é uma política de evasão de presos no estado", asseverou João Carvalho.
Barreto Campelo

Pela manhã, a PM anunciou a prisão de 13 dos 53 foragidos da fuga em massa realizada na quarta-feira (20) na Barreto Campelo, em Itamaracá. A operação foi realizada na madrugada deste sábado. A Polícia Militar (PM) prendeu 14 pessoas na praia do Pilar, em Itamaracá, no Grande Recife. Onze deles fazem parte do grupo de 53 presos.
Horas depois, já na entrevista coletiva realizada na sede da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos, o secretário Pedro Eurico e a cúpula da Secretaria de Defesa Social (SDS) informaram que outros dois detentos foram recapturados em um barraco, na beira do mangue, no bairro de Rio Doce, em Olinda. Com isso, já são 13 os fugitivos sob custódia da polícia.

Outros dois homens capturados trocaram tiros com a Polícia Militar em uma região de mangue em Itamaracá, durante a madrugada. Eles fugiram, mas deixaram duas armas para trás. "A Polícia Militar vai permanecer na ilha o tempo que for necessário para recapturarmos o máximo de elementos que fugiram", afirmou o comandante-geral da corporação, coronel Carlos D'Albuquerque.

As inteligências da Polícia Militar, Civil e da Secretaria Executiva de Ressocialização estão trabalhando em conjunto para localizar os foragidos e identificar os organizadores do esquema. As pessoas que tiverem informações podem repassá-las, sem precisar se identificar, pelo Disque-denúncia, no telefone (81) 3421.9595.


Com informações do G1 PE

Comentários

Outras notícias