23/01/2015 às 21h00m - Atualizado em 23/01/2015 às 21h13m

Recife: Adolescente de 15 anos é estuprada, roubada e esfaqueada na Via Mangue

Estudante seguia para a casa de uma amiga no Pina quando foi abordada por um homem armado com um punhal

Encontra-se internada no Hospital da Restauração uma adolescente de 15 anos que foi estuprada, roubada e esfaqueada na Via Mangue, na Zona Sul do Recife, na noite dessa quinta-feira (22). A estudande tinha saído da casa onde mora em Brasília Teimosa para visitar uma amiga na comunidade de Areinha, no bairro do Pina, quando foi abordada por um homem com um punhal nas mãos.

A mãe da vítima informou que a menor está consciente, mas que ainda não há previsão de alta. "O homem chegou com um punhal para estuprá-la e então tomou o celular dela. Minha filha reagiu e ele bateu nela, além atingi-la com quatro facadas, três no pescoço e uma nas costas", contou a mulher, que também afirmou que a filha poderia reconhecer o homem. A mulher ainda reclama da falta de segurança do local, afirmando que esse tipo de situação acontece frequentemente, devido à escuridão e a falta de policiamento na localidade.

ESCURIDÃO - A Via Mangue, corredor expresso da Zona Sul do Recife foi inaugurado incompleto há sete meses e está totalmente às escuras. Falta luz em todos os 4,9 quilômetros de extensão. Nos últimos dias aconteceu o furto da fiação da 6ª subestação de energia do corredor, apagando de vez toda a iluminação pública e se tornando um caminho perigoso para os motoristas à noite.

No dia 7 de janeiro, o JC Online publicou matéria mostrando que apenas 800 metros do corredor ainda possuíam iluminação. A reportagem do JC voltou a percorrer a via no último dia 14, por volta das 20h, e conferiu que apenas na altura do Rio Mar Shopping é possível ver iluminação.

A Prefeitura do Recife garante estar tomando providências e diz que irá instalar câmeras de segurança para, em seguida, restaurar a iluminação. Garante que ainda neste mês de janeiro a Via Mangue voltará a ter luz. As seis subestações de energia foram alvo de furtos e algumas delas chegaram a ser danificadas. Cada subestação responde por um trecho. Segundo informações da Secretaria de Infraestrutura, a obrigação de repor a iluminação é da construtora responsável pela obra, a Queiroz Galvão, mas como a retomada dos trabalhos depende da liberação de R$ 26 milhões (parte da contrapartida do município) pela Caixa Econômica Federal, a prefeitura optou por assumir o custo da reposição e depois descontar da construtora.


Com informações do Jornal do Comércio

Comentários

Outras notícias