21/01/2015 às 00h13m - Atualizado em 21/01/2015 às 00h18m

Detento é decapitado e outro fica ferido em nova rebelião no Complexo do Curado

Clima de tensão foi retomado pela manhã. Presos pedem celeridade em julgamentos

Um detento foi decapitado e outro ficou ferido, no início da tarde desta terça-feira (20), durante um novo motim no Complexo Prisional do Curado, no bairro do Sancho, na Zona Oeste do Recife. O preso assassinado foi identificado como Mário Antônio da Silva, de 52 anos. Já o outro, que não teve o nome revelado, recebeu atendimento médico. As informações foram repassadas pelo secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico, durante entrevista à imprensa. Ele garantiu que a situação está sob controle no local, que abriga os presídios Juiz Antônio Luiz Lins de Barros, Agente Marcelo Francisco de Araújo e Frei Damião de Bozzano.

Do lado de fora das unidades, entretanto, o clima é de tensão por conta da falta de informações sobre o estado de saúde dos presos. Sons de tiros foram ouvidos ao longo de todo o dia, embora com intervalos longos. Parentes entraram em desespero a cada movimentação na área, como quando houve trânsito de policiais e de viaturas. Por volta das 17h30, um carro do Instituto de Medicina Legal (IML) foi esmurrado por familiares, que cobravam notícias do interior dos presídios.

Pela manhã, um helicóptero da Secretaria de Defesa Social (SDS) fez o monitoramento do entorno do complexo prisional. O Batalhão de Choque foi acionado e entrou na unidade para conter o tumulto, mas saiu no fim da tarde, quando a situação, aparentemente, estava controlada. Informações extraoficiais dão conta de que muitos detentos conseguiram quebrar os cadeados das celas e passaram a circular livremente pelos presídios. Por conta da violência, a avenida em frente ao complexo começou a ser fechada pela Polícia por volta das 13h50.

Motivações
Os presos realizaram uma greve de fome para pedir a presença do juiz Luiz Rocha, titular da 1ª Vara de Execuções Penais. Eles reclamam do acúmulo de processos sem avaliação para progressão de regime e alegam que servidores do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) receberiam propina para privilegiar a análise de determinados casos.
Em entrevista à imprensa, na última segunda (19), o magistrado negou as acusações e explicou que esteve pessoalmente nas unidades, em 31 de dezembro, para falar sobre as medidas para agilizar averiguações de processos. Segundo ele, ainda esta semana, 25 auxiliares serão incorporados aos quadros do setor.

Violência desde segunda-feira
Na última segunda, uma rebelião no local deixou 24 feridos. Inicialmente, a Secretaria-executiva de Ressocialização (Seres) havia divulgado que o número de presos que se machucaram na confusão tinha chegado a 29. O tumulto também deixou dois mortos, um deles, o primeiro sargento Carlos Silveira do Carmo, de 44 anos, que era lotado no Batalhão de Guarda da corporação e atuava na penitenciária há seis meses. Além dele, um detento, identificado como Edvaldo Barros da Silva Filho, também morreu durante o tumulto. Os dois foram enterrados nesta terça.


Com informações da Folha de Pernambuco

Imagem: Clemilson Campos/Folha de Pernambuco

Comentários

Outras notícias