GB Bateiras

21/01/2015 às 00h06m

Após anos de seca, usinas começam a se recuperar

De acordo com o Sindicato das Indústrias do Açúcar e do Álcool de Pernambuco (Sindaçúcar), a safra pernambucana 2014/2015 deverá chega a 15 milhões de toneladas.

A produção pernambucana de cana-de-açúcar começa a dar mostras de recuperação após as últimas safras serem duramente afetadas pela pior estiagem enfrentada pelo Nordeste nos últimos 50 anos. De acordo com o Sindicato das Indústrias do Açúcar e do Álcool de Pernambuco (Sindaçúcar), a safra pernambucana 2014/2015 deverá chega a 15 milhões de toneladas. Na safra anterior, a moagem foi da ordem de 14,4 milhões de toneladas de canas.

O balanço parcial divulgado pelo Sindaçúcar aponta que entre agosto dezembro de 2014 o volume esmagado pelas usinas pernambucanas chegou a 8,74 milhões de toneladas. Na anterior, a moagem o mesmo período foi de 8,2 milhões de toneladas de canas. O presidente do Sindaçúcar, Renato Cunha, diz que o perfil da safra atual está concentrado na produção de etanol.

"A safra atual tem um perfil mais alcooleiro por enquanto, já que os preços do açúcar estão muito comprimidos nas bolsas internacionais", explica Cunha. "O etanol também tem uma remuneração incompatível com os custos de produção, mas, pelo menos, no anidro para mistura à gasolina as vendas estão fluindo", completa.

Até dezembro do ano passado, a produção de etanol chegou a 197,9 milhões de litros de etanol, um aumento de 22% sobre o volume produzido no mesmo período da safra anterior, que foi da ordem de 161,1 milhões de litros. Já a produção de açúcar chegou a 615,7 mil toneladas, uma queda de 2,8% quando em comparação com o mesmo período da safra passada.


Pernambuco 247

Comentários

Outras notícias