Black Friday Ubannet

17/01/2019 às 09h50m - Atualizado em 17/01/2019 às 12h55m

Homem é preso suspeito de chefiar tráfico em 20 cidades de Pernambuco junto com o irmão

Conhecidos como 'Gêmeos de Catende', dupla de irmãos comandaria cerca de 3000 homens no comércio de entorpecentes e estaria ligada a homicídios

gemeo_de_catende
Do JC Online
 
A Polícia Civil detalhou na manhã desta quarta-feira (16), em entrevista coletiva, a prisão de Clebson Ramos de Oliveira. Ele é suspeito de ser o chefe de uma quadrilha que comandaria o tráfico de drogas em 20 cidades localizadas nas Matas Sul e Norte de Pernambuco, além de Novo Lima e Colônia Leopoldina, em Alagoas, que fazem divisa com o Estado.A atuação  da quadrilha também chegaria a Garanhuns, no Agreste pernambucano.

De acordo com o delegado Marcelo Queiroz, titular de Palmares, Clebson dividiria o comando do crime com o irmão, Edcleibson Evilásio da Silva, conhecido como “Cleibinho”, preso em Caaporã, na Paraíba, no dia 27 de novembro do ano passado. “Atualmente ele se encontra no Cotel (Centro de Observação Criminológica e Triagem de Abreu e Lima) aguardando julgamento”, explicou Queiroz.

Os dois irmãos seriam conhecidos como “Gêmeos de Catende”. “Eles atuam no tráfico de drogas e estão envolvidos em homicídios relacionados a esse comércio”, afirmou o delegado. “Eles também cometiam outros crimes ‘acessórios’ ao tráfico, como roubo de carros”, continuou.

Segundo Queiroz, a dupla atuava há pelo menos dois anos. “Só em Palmares, há 10 inquéritos contra eles, por 15 homicídios”, relatou. As investigações apontam que a dupla atuava nesses homicídios como mandantes. “Eles chefiavam uma organização com cerca de 3000 membros”, pontuou o delegado.

“O Cleibinho, ao que tudo indica, pertence ao Comando Vermelho”, disse Queiroz. A facção criminosa é conhecida pela violência com a qual impõe o seu domínio. “Eles praticavam homicídios para expulsar da localidade quadrilhas rivais”, informou o delegado.

Prisões

Cleibinho foi localizado pelos policiais em uma “casa confortável, com piscina”, segundo a polícia, na Paraíba. “Na ocasião ele tentou fugir pulando um muro. Foi encontrado trancado dentro do carro de um vizinho”, contou Queiroz.

Já Clebson teria fugido para Tacaimbó, no Agreste, logo após a prisão do irmão. “Ele estava morando na casa de uma família comum, com duas crianças”, relatou o delegado, “ele afirma que arrumou um emprego, que estava levando uma vida normal”. Contudo, os indícios apontam que Clebson teria ligações com o crime.

“Nessa casa encontramos um revólver, uma pistola, ambas municiadas, e tabletes de maconha”, relatou o delegado. O material foi apreendido. Clebson foi levado para a Delegacia de Caruaru, no Agreste, e depois foi encaminhado para a audiência de custódia, no Fórum de Belo Jardim. “Provavelmente ele será levado para o presídio de Tacaimbó”, explicou o delegado.

Ao todo, a dupla tem mandados de prisão em aberto nas comarcas de Palmares, Jaqueira _ na Mata Sul - e Ipojuca e Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife.

Vácuo de poder

A polícia agora acredita que, com a prisão dos “Gêmeos”, outras organizações vão tentar ocupar o espaço deixado por eles. “Outros grupos estão sempre em ascensão no tráfico, onde a rivalidade é muito grande”. concluiu Queiroz.

Comentários

Outras notícias